28°
Máx
17°
Min

Projeto Escola Também Compra quer fomentar a economia de Guarapuava

Com o objetivo de utilizar as compras e contratações feitas pelas escolas estaduais e promover a economia local, Guarapuava foi a escolhida para o projeto piloto ‘Escola Também Compra’, iniciativa da Secretaria Estadual de Educação do Estado do Paraná (SEED), do núcleo regional de Educação de Guarapuava, da Associação Comercial e Empresarial de Guarapuava (Acig) e do Sebrae/PR.

Conforme o consultor do Sebrae/PR, Marlon Farias, cada escola possui um fundo rotativo que é disponibilizado pela Secretaria Estadual de Educação para utilizar com despesas relacionadas à manutenção, pintura, jardinagem, entre outros. “O projeto consiste em capacitar diretores de escolas e empresários, com foco nos microempreendedores individuais, e promover um encontro de oportunidades entre as partes para que sejam gerados negócios locais”, completa.

O projeto piloto contempla dois workshops de capacitação de diretores e administrativos das escolas estaduais. Além disso, haverá também capacitações para os empresários sobre como participar do processo de compra, formar preço e documentações necessárias. Será realizada ainda uma rodada de oportunidades no final do ano. “O projeto inicia agora em julho e deve finalizar em setembro. Após isso, será feita uma avaliação dos resultados obtidos”, diz.

O projeto ‘Escola Também Compra’ deve envolver, segundo o consultor do Sebrae/PR, 59 escolas de Guarapuava e região, mas há o interesse da Secretária de Educação de desenvolvê-lo nas demais regiões do Paraná. A estimativa de recurso total gasto no ano pelas 59 escolas que fazem parte do projeto chega a R$ 1 milhão.

“Estamos dando o primeiro passo. Este é um processo de construção coletiva, uma iniciativa que irá somar, aproximando a classe empresarial da comunidade escolar”, enfatiza o presidente da Acig, Eloi Laércio Mamcasz. Já o diretor da coordenadoria de Apoio Financeito à Rede Escolar (CAF), da SEED, Manoel José Vicente, acredita que através do projeto será possível movimentar a economia local e facilitar o caminho dos gestores em busca de fornecedores.

“Há certa dificuldade das escolas em realizar a compra direta no que se refere à busca de fornecedores e orçamentos. Pretendemos utilizar as informações do ‘Escola Também Compra’ para criar um banco de dados local e regional, que permita aos gestores solicitar informações online das empresas previamente cadastradas”, cita Manoel.

Colaboração Assessoria de Imprensa.