23°
Máx
12°
Min

Quadrilha assalta agência bancária e foge com reféns amarrados em veículo



  
Os cerca de 3,8 mil habitantes da pacata Rio Branco do Ivaí, no norte do Paraná, tiveram a tranquilidade quebrada no início da tarde desta sexta-feira (12), quando uma quadrilha fortemente armada assaltou a agência do Banco do Brasil no município.

 Segundo informações da Polícia Militar, os bandidos teriam invadido a agência, estourando a porta da agência com um fuzil e indo diretamente ao gerente, ordenando a abertura do cofre. Na fuga, um gerente e outro funcionário do banco foram amarrados no capô de uma Renault Duster, e a quadrilha fugiu sentido Cândido de Abreu.  Os reféns foram liberados em seguida, sem ferimentos.




 O caso sendo conduzido pela 6ª Companhia da Polícia Militar, com sede em Ivaiporã, que conta com apoio do grupamento aéreo (BPMOA) de Londrina para localizar os bandidos. Ainda não é possível precisar quantos integrantes da quadrilha participaram da ação.



Em menos de um ano, é a segunda vez que a agência do Banco do Brasil de Rio Branco do Ivaí é assaltada. Em 19 de abril de 2015, três caixas eletrônicos foram explodidos na madrugada, deixando a agência interditada por meses.

“A gente fica bastante assustada. A cidade é muito tranquila, mas de uns tempos para cá assaltaram o Correio, a lotérica, mas eram roubos mais leves, não tão ousados como o de hoje, com gente feita refém”, afirma a funcionária pública Renata de Paula, que trabalha a poucos metros da agência bancária.

A região do Vale do Ivaí vem sendo palco de assaltos cinematográficos a agências bancárias. Em julho, duas agências bancárias de Borrazópolis foram assaltadas, com funcionários obrigados a fazerem um ‘cordão humano’ durante troca de tiros com a polícia, e reféns amarrados no capô de um veículo durante a fuga. Em Kaloré, Tibagi e Reserva, a operação dos bandidos foi muito semelhante, o que levou a polícia a suspeitar que fosse a mesma quadrilha.

Em setembro de 2015, 12 pessoas foram presas acusadas de participação nos assaltos a banco no Vale do Ivaí. Segundo a secretaria de Segurança Pública,  uma chácara em Ortigueira, nos Campos Gerais, era usada como base para a quadrilha. No local, foram encontradas, máscaras, coletes, armas, munição e uma agenda de contatos de membros do grupo.