21°
Máx
17°
Min

Quadrilha investigada pela PF tinha patrimônio de R$ 20 milhões

O grupo era bem organizado, segundo a investigação da Polícia Federal. A quadrilha conquistou um patrimônio de R$ 20 milhões com o tráfico de drogas. A 'Operação Aletria’ foi deflagrada nesta terça-feira (28), depois de mais de um ano de investigações.

Os mandados de busca e apreensão e de prisão, foram cumpridos em Foz do Iguaçu e nas cidades vizinhas, locais onde o grupo atuava. Em uma das casas, alvo da PF, foram encontrados R$ 250 mil em dinheiro. O valor estava escondido em um móvel.

Quatro pessoas foram presas hoje, mas outras nove também participam do esquema, no entanto já estavam presas, em ações da polícia. Além delas, segundo a PF, outras 12 pessoas vão ser indiciadas pelos crimes.

O grupo traficava e investia em bens, para tentar esconder o patrimônio. O grupo era dono de um motel e uma pedreira. Ao todo 18 veículos foram apreendidos na ação. Entre eles carros de luxo, maquinários agrícolas e também embarcações. A PF apreendeu também drogas e acredita que o grupo atuava há pelo menos 12 anos na região.

Os trabalhos continuam para identificar mais envolvidos e bens adquiridos com o dinheiro ilícito. O nome da operação foi escolhido por causa do apelido do chefe da quadrilha. Aletria é um doce semelhante a uma massa de macarrão de fios, o chamado 'cabelo de anjo', apelido do chefe da organização.

Colaboração: Cris Neres / Rede Massa