22°
Máx
17°
Min

Quarteto é condenado pela morte do Policial Civil Marcos Gogola

Quarteto é condenado pela morte do Policial Civil Marcos Gogola

O Júri Popular que julgou os quatro rapazes acusados da morte do policial civil Marcos Antônio Gogola, e da tentativa de homicídio contra o agente carcerário Marcos Nyhus, foi encerrado no fim desta manhã (7), em Campo Largo.

O quarteto foi considerado culpado e as penas foram compatíveis com a ‘culpa’ de cada um. Somados os anos de pena, são 194 anos de prisão. Dionatan Mendes Quadros, apontado como ‘mentor’ do crime, já que ele foi o preso resgatado no dia do crime, recebeu pena de quase 57 anos. Os demais envolvidos também tiveram altas penalidades. Anderson Barbosa da luz, foi condenado a 47 anos de prisão; Iago Gonçalves, 48 anos e Jean Fernando de Matos, 42 anos.

Relembre

O crime foi registrado no dia 5 de setembro de 2013, em um consultório odontológico localizado no centro de Campo Largo. Gogola e Nyhus faziam a escolta de Dionatan que era submetido a tratamento. O atendimento, no entanto, era fachada para que o preso fosse resgatado. Mesmo sem ter reagido ao fato, o policial foi executado com um tiro na cabeça e o agente ferido com um tiro nas costas.