22°
Máx
14°
Min

Quem passa pelo local está exposto ao risco de cair no rio; grades não existem mais

Populares reclamam da ausência da grade de proteção em rio

Quem passa pela Avenida Silva Jardim na altura do cruzamento com o Viaduto do Colorado, sabe do movimento intenso de veículos a qualquer hora do dia. Por ali, também a presença de transeuntes é constante, seja de pessoas que trabalham na região, ou de passageiros que desembarcam ou embarcam na Rodoferroviária de Curitiba. Fato, é que internautas que passam pelo local constantemente, alertaram para um fato que expõe todas estas pessoas ao risco. É a ausência de parte da grade se segurança na Avenida Silva Jardim, para impedir quedas no Rio Belém. Ou seja, se ocorrer um acidente, ou ainda, uma pessoa escorregar, cai direto no rio.

O local, de acordo com o relato de populares que trabalham nas proximidades, sempre foi alvo de drogaditos, e até mesmo de esconderijo para marginais. “A qualquer hora do dia, à noite, a gente vê eles entrando embaixo do viaduto para usar drogas, vê alguns se escondendo ali também”, relata um trabalhador da região, que pediu para não ser identificado. “Mesmo quando tinha a grade, eles pulavam, passavam entre os vãos”, acrescenta.

Mas, a preocupação é mesmo com quem passa por ali. “Se acontecer um acidente, alguém se perder aqui, cai direto no rio”, comenta.

O trabalhador também afirma, que a grade sempre foi ‘problemática’, pois a manutenção era necessária constantemente. “Sempre tinha uma parte quebrada, um pedaço tirado, mas a grade estava ali, tinha pelo menos um pouco de segurança. Agora, eu evito passar ali, estou vendo o dia que alguém vai cair”.

Ainda segundo ele, um dia simplesmente a grade não estava mais lá. “É a Prefeitura que tem que ver isso, nós já ligamos lá, mas até agora não vieram nem ver’.

A reportagem do Massa News entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Curitiba para questionar quando o problema será solucionado. Conforme a assessoria, “técnicos da Secretaria de Meio Ambiente irão até o local para verificar a situação”. Não há prazo, no entanto, para que a verificação seja efetuada.