27°
Máx
13°
Min

Reciclagem deve crescer em Maringá com inauguração de central

Maringá prevê aumentar o reaproveitamento de resíduos com a inauguração, ocorrida nessa quinta-feira (21), da Central de Valorização de Materiais Recicláveis. Sete cooperativas– CooperMaringá, CooperNorte, CooperCanção, CooperAmbiental, CooperCicla, CooperVidros e CooperPalmeiras – vão atuar nos barracões de 700 m².

A central pioneira no estado deve ser construída em outros cinco municípios: Londrina, Cascavel, Francisco Beltrão e Ponta Grossa, somando R$ 22 milhões em investimentos, por meio de uma parceria público-privada.

Em Maringá, o Sindibebidas investiu R$ 2,5 milhões e o município deu uma contrapartida de R$ 650 mil. “O projeto estimula o associativismo e o cooperativismo e melhora a renda dos catadores, porque são eles que recolhem as embalagens e levam para as cooperativas, onde é feita a triagem”, declarou o presidente do Sindibebidas, Nilo Cini Junior. 

A presidente da CooperVidros, Dulcineira Martins, declarou que a central nasce com uma meta ousada no aumento da reciclagem. Somente no setor de vidro, espera-se dobrar a capacidade e quase triplicar o número de contratados, de 12 para 30. 

“Quanto mais material vir aqui para a central, melhor para a gente”, declarou.

Colaboração Geovan Petry da Rede Massa