22°
Máx
16°
Min

Redesastre reúne pesquisadores para definir ações para este ano

(Foto: Divulgação/AEN) - Redesastre reúne pesquisadores para definir ações para este ano
(Foto: Divulgação/AEN)

Pesquisadores de 14 universidades e instituições de pesquisa que integram a Rede Estadual de Pesquisa, Ensino, Extensão e Inovação Tecnológica Voltada à Redução de Riscos de Desastres (Redesastre) retomaram os trabalhos de estudos para a prevenção ao risco de desastres no Estado.

A Redesastre é a primeira e única rede no Brasil a reunir instituições públicas e privadas de ensino e pesquisa dentro deste tema e é coordenada pelo Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres do Paraná (Ceped-PR), instituição ligada à Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil e à Universidade Estadual do Paraná (Unespar).

Para o diretor do Ceped-PR, capitão PM Eduardo Gomes Pinheiro, a Redesastre vem unir forças para minorar os efeitos dos desastres, buscando resolver os problemas existentes nas comunidades paranaenses. “Queremos respostas para questões como o porquê da existência desses desastres, quais são as possibilidades da ocorrência de novos eventos e alternativas para termos condições de melhor informar os gestores públicos que tomam as decisões nessa área”, informou.

O capitão Pinheiro explicou que a Redesastre já conta com projetos de pesquisa em elaboração, como um desenvolvido pela Unespar na região portuária de Paranaguá, no litoral paranaense, que envolve a proteção da fauna atingida por desastres tecnológicos, como vazamento de óleo. “Temos também sugestões de instituições de pesquisa que tratam de alternativas para reduzir os problemas que acontecem em vários municípios. São regiões inundadas, que sofrem com eventos como granizo, que impactam na agricultura e no setor de infraestrutura, por exemplo”, afirmou.

Colaboração AEN