27°
Máx
13°
Min

Rejeição de projeto de ciclofaixas preocupa ciclistas

A Câmara de Vereadores de Ponta Grossa rejeitou na última semana o projeto de instalação de ciclofaixas nas principais avenidas da cidade. A proposta do vereador George Luiz de Oliveira (PMN) foi negada por 11 votos a cinco. Diversas avenidas movimentadas seriam contempladas pela proposta que, segundo vereadores que votaram contra, não era tecnicamente viável ao se apoiar em um ofício do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Ponta Grossa (Iplan).

O projeto previa a implantação dessas faixas exclusivas para ciclistas nas avenidas Carlos Cavalcanti, em Uvaranas, Visconde de Mauá, em Oficinas, e Vicente Machado, na área central de Ponta Grossa. O problema é que, na mesma semana que a Câmara vetou a proposta, um ciclista de 58 anos ficou ferido em um acidente na região de Uvaranas – que seria contemplada com ciclofaixas, levantando a questão sobre a importância em garantir segurança àqueles que optam por esse meio de transporte.

Quem está acostumado a andar de bicicleta considerou a decisão da Câmara um retrocesso, como é o caso de Danilo Estreiechen, vice-presidente da Liga de Ciclismo dos Campos Gerais. “Os governantes acham que se fizessem ciclovias e ciclofaixas em Ponta Grossa seria um retrocesso para eles, para o comércio e para o sistema de trânsito, eles não entendem que tem que adaptar aos poucos, assim o todo mundo vai se adaptando”, comenta.

Estreiechen também vê as ciclofaixas como uma possível solução para o trânsito caótico de Ponta Grossa. “Para a mobilidade urbana, é muito interessante o uso da bicicleta como meio de transporte, assim como a caminhada a pé e o uso do transporte coletivo, mas desde que tenha todo um sistema em andamento e que funcione”, completa.

Colaboração Marrara Laurindo, da Rede Massa.