22°
Máx
16°
Min

Representante da Uber conversa com motoristas parceiros

Gerente de relações governamentais da Uber conversa com motoristas (Foto: Reprodução) - Uber orienta parceiros sobre abordagem de taxistas
Gerente de relações governamentais da Uber conversa com motoristas (Foto: Reprodução)

Em conversa com motoristas parceiros da Uber, após a manifestação realizada em frente a Câmara Municipal de Curitiba na manhã desta segunda-feira (27), o gerente de relações governamentais da empresa, Gabriel Petrus, recomendou que os agredidos não reajam e registrem boletins de ocorrência. Ele ainda destacou que o trabalho realizado pela ferramenta é “respaldado por lei”.

“A recomendação é que vocês não reajam a qualquer tipo de incitação, de qualquer natureza. A Uber recomenda que sejam registrados boletins de ocorrência”, comentou Petrus. Ele afirmou ainda que a questão da segurança dos motoristas será discutida com a secretaria estadual de Segurança Pública, além dos debates realizados com o município de Curitiba. “O importante para nós agora são as discussões com e junto a Prefeitura de Curitiba, para garantir a segurança do serviço que já é legal e constitucional”, disse ele que também ouviu questionamentos dos parceiros.

Em nota, a Uber argumentou que o serviço é “completamente legal”, uma vez que os motoristas prestam serviço de transporte individual provado com o respaldo da Constituição Federal e é previsto na lei federal da Política Nacional de Mobilidade Urbana.

A empresa ainda afirmou que mais de 70 boletins de ocorrência relacionados a agressões e constrangimentos públicos foram registrados em Curitiba desde o início do funcionamento do serviço. “A Uber considera inaceitável o uso de violência. Todo cidadão tem o direito de escolher como quer se mover pela cidade, assim como o direito de trabalhar honestamente.

“Acreditamos que os motoristas parceiros precisam ter seu direito constitucional de trabalhar preservado e vamos dar todo o suporte necessário para que os agressores sejam julgados e condenados. Desativamos da plataforma parceiros que se envolvam em brigas e que tenham comprovadamente atitudes violentas”, diz o texto.