22°
Máx
14°
Min

Residências lideram focos do Aedes aegypti encontrados em Curitiba

(Foto: Cesar Brustolin/SMCS) - Residências lideram focos do Aedes aegypti encontrados em Curitiba
(Foto: Cesar Brustolin/SMCS)

Dos 202 focos do mosquito Aedes aegypti identificados em Curitiba neste ano, 90 foram encontrados em residências. Ao todo, isso representa 44,5% dos criadouros localizados pelas equipes da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). Segundo a Prefeitura de Curitiba, o número indica que ainda tem muita gente ignorando risco de o inseto transmitir dengue, zika e chikungunya.

Até agora, foram confirmados 342 casos de dengue, sendo 338 importados e quatro autóctones. Além disso, duas pessoas  que contraíram a doença foram de Curitiba morreram por causa da dengue. No caso da Zika, 35 casos importados e quatro autóctones foram registrados. Já os oito casos de chikungunya são todos importados.

Pontos estratégicos

Outro dado que chama a atenção é dos 52 focos (25,7%) encontrados em pontos estratégicos até esta semana. Cada um dos 887 locais – formado principalmente por estabelecimentos comerciais, como ferros-velhos, floriculturas e borracharias – é vistoriado quinzenalmente por agentes de combate a endemias.

Como forma de reforçar a campanha educativa e conscientizar todos os moradores sobre a importância de adotar medidas de combate ao mosquito, a Prefeitura de Curitiba intensificou a aplicação de multas a proprietários de imóveis que negligenciarem os cuidados necessários. As multas aplicadas podem variar de R$ 200 a R$ 7 mil.

Cuidados

Para combater o Aedes aegypti, é fundamental eliminar locais ou objetos que sirvam de depósito para água e favoreçam o desenvolvimento do mosquito, como tampas, pneus, vasos ou garrafas.

Entre as dicas estão manter a caixa d’água fechada; limpar as calhas, removendo folhas, galhos e outros objetos que impeçam a passagem da água; escoar a água acumulada sobre a laje; tratar ralos com pouco uso usando um pouco de água sanitária; encher os pratinhos dos vasos com areia; guardar garrafas vazias de cabeça para baixo; manter pneus velhos em locais cobertos.

Os cuidados não podem ser feitos uma única vez, devem ser rotineiros e repetidos todas as semanas.