26°
Máx
19°
Min

Secretaria pede cuidado na separação do lixo para reciclagem

(Foto: Divulgação) - Secretaria pede cuidado na separação do lixo para reciclagem
(Foto: Divulgação)

Três meses após a implantação do Programa de Coleta Seletiva da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente pede atenção aos cidadãos na hora de separar o lixo. A principal dificuldade das associações de reciclagem é o material reciclável que chega misturado no mesmo saco de lixo orgânico, que suja as esteiras e dificulta o trabalho dos recicladores.

Para a separação correta, é preciso colocar em um saco de lixo todo o material reciclável seco, como papel, vidro, plástico, isopor e metal. Em outro saco de lixo deve ser depositado apenas os materiais molhados, como resto de comida e papel higiênico. A Secretaria orienta para que os moradores se atentem ao dia que o caminhão da coleta seletiva passa por suas casas, para que o lixo reciclável seja colocado na lixeira apenas nesses dias.

A secretária de Meio Ambiente, Patrícia Tuma Hilgemberg, explica que a má separação do lixo acaba inviabilizando o projeto de coleta seletiva, provocando insalubridade no local de trabalho dos catadores. “O poder público disponibiliza a coleta, a gente espera que a população faça sua parte. A coleta procura diminuir o impacto ambiental, o que vai reverter em bem-estar futuramente, já que esse material deixa de ser enterrado”, explica a Secretária.

Orientações para separar o lixo, localização dos pontos de entrega voluntária (PEVs), e a rota da Coleta Seletiva estão disponíveis em um mapa interativo no site da Prefeitura de Ponta Grossa. Os moradores podem ainda levar o material reciclável aos PEV’s que ficam nos mercados da cidade. A Secretaria de Meio Ambiente está disponível para tirar dúvidas da população, pelo telefone (42) 3901-1688.

Resultado

O rendimento da Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis da Nova Rússia (Acamaru), aumentou 113,33% depois que a coleta seletiva iniciou. Antes a associação recebia 1500 quilos de reciclável por semana, retirados dos Pontos de Entrega Voluntária (PEVs) e do Programa Feira Verde. Hoje, recebe 3200 quilos de material reciclável por semana, 1700 adicionados com o Programa de Coleta Seletiva.

A Presidente da Acamaru, Ilza Mara Mendes, explica que uma separação malfeita do lixo gera o atraso na produção das associações. “A gente não aproveita esse lixo, portanto ele não reverte em renda para nós, e mesmo assim perdemos tempo selecionando e estocando pra jogar fora. Se viesse tudo mais separado renderia mais tempo e mais dinheiro pra gente”, conta a presidente.

Colaboração Assessoria de Imprensa.