23°
Máx
12°
Min

Sem acordo, Samu Sudoeste entra em greve nesta terça-feira

Técnicos socorristas e motoristas pedem reajuste salarial e não chegaram a acordo com o Ciruspar (Foto: Divulgação) - Sem acordo, Samu Sudoeste entra em greve nesta terça-feira
Técnicos socorristas e motoristas pedem reajuste salarial e não chegaram a acordo com o Ciruspar (Foto: Divulgação)

Condutores socorristas e técnicos do Samu na região Sudoeste entram em greve a partir das 19 horas desta terça-feira (5). A decisão foi tomada em assembleias realizadas na noite de segunda-feira (04) nas bases instaladas em dez municípios da região. O principal impasse que ainda não foi resolvido diz respeito ao percentual de reajuste do piso-salarial. O Consórcio Intermunicipal de Urgência e Emergência do Sudoeste do Paraná (Ciruspar) alegou não ter condições de atender à requisição dos trabalhadores, mas que tem se esforçado para obter recursos junto aos governos estadual e federal.

Os profissionais optaram pela paralisação após falta de entendimento com a direção do Ciruspar, responsável pela gestão do Samu regional. Conforme o presidente do Sindicatos dos Transportadores Rodoviários (Sintrofab), Josiel Tadeu Telles, desde fevereiro vinha sendo discutida a possibilidade de reajuste salarial para os condutores e técnicos, no entanto as reivindicações não foram acatadas.

No dia 28 de junho representantes do Ciruspar e de sindicatos que representam os profissionais do SAMU participaram de uma audiência do TRT/PR (Tribunal Regional do Trabalho) em Curitiba para tentar um acordo, mas nada aconteceu. Na ocasião ficou marcada para sexta-feira (1º) uma reunião entre os prefeitos de cidades que detém bases do Samu, que são 10 no Sudoeste, para avaliar as reivindicações da classe. A reunião aconteceu com apenas quatro prefeitos e nenhuma proposta consistente foi apresentada aos sindicatos, que colocaram a possibilidade de uma greve em votação e a aprovação foi unânime, tendo validade a partir desta terça-feira (5).

Ficou determinado pela Justiça que, das 16 ambulâncias em operação no sistema, oito deverão funcionar (quatro delas referentes ao atendimento avançado - UTI Móvel e quatro de atendimento básico). A desembargadora Marlene T. Fuverki Suguimatsu, que presidiu a sessão do dia 28, concedeu também prazo para que as partes juntem ao processo as suas defesas e respectivas manifestações.

O Ciruspar é responsável pelo atendimento dos casos de urgência médica de 42 municípios da região Sudoeste do Paraná, onde vivem cerca de 480 mil habitantes.

Colaboração Assessoria de Imprensa e Portal RBJ.