24°
Máx
17°
Min

Seminário discute falta de vagas para internação de adolescentes em conflito com a lei

(Foto: MPPR) - Seminário discute falta de vagas para internação de adolescentes em conflito com a lei
(Foto: MPPR)

O Ministério Público do Paraná promove nesta quarta-feira (1), o Seminário “Panorama atual das vagas e o atendimento às famílias dos adolescentes internados no Estado do Paraná”, para debater a situação da insuficiência de vagas para internação de adolescentes em conflito com a lei. O evento ocorre em Curitiba, na sede do MP (Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cívico) das 8h45 ao meio-dia, e será transmitido ao vivo via webcast.

Conforme o MP, no Estado atualmente, 980 adolescentes cumprem medida socioeducativas nas 27 unidades de internação disponíveis. Essa quantidade não atende à demanda, e a má distribuição das vagas acaba por afastar o menor da família.

O objetivo do encontro, segundo o coordenador do Caop das Promotorias de Justiça da Criança e do Adolescente e da Educação, procurador de Justiça Murillo José Digiácomo, é estimular a conversa entre os órgãos responsáveis e ligados ao tema. “O objetivo é transmitir diretamente aos gestores as principais dificuldades e angústias que permeiam o sistema socioeducativo, assim como obter informações acerca das providências que estão sendo tomadas para superá-las”, afirma.

  • Programação
  • 08h15 - Credenciamento
  • 08h45 - Abertura
  • Ivonei Sfoggia
  • Procurador-Geral de Justiça
  • Eduardo Cambi
  • Promotor de Justiça. Coordenador do CEAF
  • 09h - Política socioeducativa
  • Pedro Ribeiro Giamberardino
  • Advogado e Diretor do Departamento de Atendimento Socioeducativo (DEASE/SEJU)
  • 09h30 - Apresentação do programa família paranaense na modalidade AFAI (Atenção às Famílias dos Adolescentes Internados por Medida Socioeducativa)
  • Luciana Finger
  • Psicóloga e técnica de referência da modalidade AFAI – Atenção às Famílias dos Adolescentes Internados por Medida Socioeducativa, do Projeto Brincadeiras na Comunidade e do Projeto Cultura Ancestral e Digital nas Comunidades Quilombolas na Unidade Técnica do Programa Família Paranaense da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social.
  • 10h - Considerações finais
  • Murillo  José Digiácomo
  • Procurador de Justiça. Coordenador do CAOPCAE
  • Régis Rogério Vicente Sartori
  • Promotor de Justiça
  • Luciana Linero
  • Promotora de Justiça
  • 11h - Abertura para perguntas
  • 12h – Encerramento

Colaboração MPPR