21°
Máx
17°
Min

Servidores da Universidade Estadual de Maringá votam indicativo de greve nesta sexta-feira

Categoria quer o pagamento do índice prometido da inflação (Foto: UEM) - Servidores da UEM votam indicativo de greve nesta sexta-feira
Categoria quer o pagamento do índice prometido da inflação (Foto: UEM)

Diante do pacote de ajuste fiscal enviado pelo governador Beto Richa (PSDB) à Assembleia Legislativa do Paraná, os servidores da Universidade Estadual de Maringá ameaçam entrar em greve. Nesta terça-feira (4), o Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar) anunciou uma assembleia para sexta-feira (7). 

Na pauta, a análise e votação de indicativo de greve devido ao projeto do governo que suspende o pagamento do reajuste da inflação, que seria aplicado em janeiro de 2017. O índice havia sido prometido no ano passado, como um dos compromissos para encerrar a paralisação dos trabalhadores da educação da rede estadual. 

A matéria do governo do Estado que prevê o “calote”, segundo os servidores, chegou à Assembleia na segunda-feira (3), um dia após as eleições municipais. Mais categorias, como os professores dos ensinos fundamental e médio da rede estadual, também prometem paralisar se o governo não garantir a inflação.

Na nova proposta do governo, o reajuste seria suspenso para o pagamento das progressões e promoções em atraso, pauta que se arrasta há dois anos. A assembleia do Sinteemar será na sexta-feira, às 8h, na sede do sindicato.