21°
Máx
17°
Min

Servidores entram na Justiça para impedir desconto dos dias parados

(Foto: Sismmar) - Servidores entram na Justiça para impedir desconto dos dias parados
(Foto: Sismmar)

Os servidores municipais de Maringá entraram na Justiça para tentar impedir o prefeito Roberto Pupin (PP) de descontar dos salários os cinco dias não trabalhados em virtude da greve. No fim da tarde desta quarta-feira (27), eles se reúnem em assembleia e podem aprovar inclusive o retorno da paralisação.

A presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar), Iraídes Baptistoni, informou que a categoria aguarda uma decisão da Justiça. “Se o juiz não der a liminar, nós vamos estudar novos encaminhamentos, inclusive o retorno da greve”, afirmou.

Outra medida tomada pelo Sismmar foi o lançamento de uma campanha para arrecadação de cestas básicas para ajudar os servidores com menores salários, que terão dificuldades em honrar os compromissos com a diminuição nos vencimentos.

Um ofício foi apresentado na Câmara, na terça-feira (26), para pedir o apoio dos vereadores na arrecadação das cestas básicas. A ajuda também foi requisitada à Arquidiocese de Maringá e o Sismmar fará a compra de parte dos alimentos.

O chefe de gabinete da Prefeitura de Maringá, Luiz Carlos Manzato, declarou que o desconto já foi feito e será oficializado no próximo depósito. “Quem não trabalha não tem direito a receber, senão eu estou cometendo improbidade”, alegou.