24°
Máx
17°
Min

Servidores ocupam Paço para pressionar prefeito

(Foto: André Renato/Prefeitura de Maringá) - Servidores ocupam Paço para pressionar prefeito
(Foto: André Renato/Prefeitura de Maringá)

O Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar) faria uma assembleia na noite desta quarta-feira (9), na Câmara, para debater a campanha salarial 2016. Porém, mudou a reunião para o Paço Municipal para pressionar o prefeito Carlos Roberto Pupin (PP) a apresentar uma proposta. 

Segundo o Sismmar, Pupin se comprometeu a entregar a oferta do Município, que seria analisada na assembleia da noite desta quarta-feira. Os servidores ficaram bastante descontentes, pois a promessa não havia sido cumprida até a tarde desta quarta-feira. 

Desde as 13h30, a comissão de negociação do Sismmar faz plantão em frente ao gabinete, aguardando um posicionamento da administração. 

Possibilidade de greve

Na última semana, os servidores deliberaram que a continuidade da falta de negociação por parte da prefeitura poderia resultado na aprovação de greve. 

"O prefeito prometeu que apresentaria propostas e não apresentou. Agora, só vamos sair daqui do Paço presos, porque ele não tem o direito de fazer os servidores de bobos", declarou Iraídes Baptistoni, presidente do sindicato. 

Entre as reivindicações dos trabalhadores, cinco pautas são prioritárias: reposição da inflação, com 10% de ganho real; implantação do vale-alimentação de R$ 350, benefício já existente para os funcionários da Câmara; aprovação de lei contra o assédio moral; o fim das terceirizações; e a revisão do piso salarial para motoristas. 

Colaboração: Sismmar