21°
Máx
17°
Min

Sujeira frequente preocupa frequentadores do Passeio Público de Curitiba

Sujeira frequente preocupa frequentadores do Passeio Público

“Acho que se o Passeio Público fosse mais limpo, melhor cuidado, seria o melhor lugar para passar um tempo em Curitiba.” Este é o relato de Jaconias Batista de Oliveira, de 56 anos, frequentador do parque, que fica na região central da capital paranaense, a mais de 15 anos.

O segurança costuma passear por lá pelo menos três vezes na semana e de acordo com ele, a situação não tem melhorado. “Parece que está piorando cada vez mais. Piorou a limpeza, piorou a organização. Como venho bastante aqui, ouço vários turistas comentando que aqui poderia estar mais limpo.”

A reportagem do Massa News foi até o Passeio Público na tarde desta quarta-feira e comprovou que os problemas realmente existem. Não é preciso andar muito para encontrar lixo comum no chão e, principalmente, na água, que parece ser a principal vítima da poluição no local.

Além disso, em alguns pontos, o lago está bastante turvo. Dentro de uma das jaulas, que fica em frente à estação-tubo Passeio Público, a água acumula espuma e está praticamente parada, situação que se repete em uma fonte desativada na região central do Passeio Público, algo que vai contra ao que a própria prefeitura recomenda em campanhas contra a proliferação do mosquito da dengue.

A poluição vem causando efeitos, para Jaconias. “Esses dias, eu estava passando por aqui e vi 40 peixes mortos boiando na água. O pessoal da prefeitura falou que foi causado pelo frio. Mas no último sábado, apareceram mais dois peixes e estava calor. Então, acho que o problema não é o frio e sim a poluição”, contou.

Para o aposentado Orlando Dias, de 64 anos, a situação incomoda. “Quando a gente vê a água nessa situação, a gente até sente uma dor no coração, afinal é uma das coisas mais preciosas para o mundo”, afirmou. Ele concorda com Jaconia no que se refere ao cuidado com o Passeio Público. “Fica bem no centro, é uma referência da cidade, poderia ser melhor”, argumentou.

A gerente de manutenção dos parques da Prefeitura de Curitiba, Walquiria Lima, afirmou que a situação da espuma no lago será verificada pela equipe técnica do Passeio. Em relação à sujeira, Walquiria explicou que uma pessoa realiza a limpeza geral pela manhã e que um grupo de funcionários faz a limpeza do lago. “Alertei os funcionários para os problemas encontrados, mas o parque é grande”, afirmou.

A gerente ainda explicou que a mortalidade dos peixes é normal nesta época do ano. “A variação de temperatura é o que vem causando as mortes dos animais. Nessa época do ano, já temos um histórico de mortes de peixes nos parques de Curitiba.” Ela explicou que, mesmo assim, as mortes estão dentro da normalidade. “O Passeio Público tem cerca de duas toneladas de peixes, então ainda está normal.”

Por fim, Walquiria afirmou que uma equipe vai verificar a situação da água parada no viveiro em frente à estação-tubo Passeio Público e explicou a situação da fonte desativa na região central do parque. “Nós pedimos para os funcionários colocarem água todos os dias, porque se não, os moradores de rua dormem por lá. Mas a água é movimentada diariamente e são colocados produtos para evitar focos do mosquito da dengue”, ressaltou.

O segurança Jaconias Batista, por sua vez, reforçou novamente a importância do Passeio Público para Curitiba. “Eu torço para que ele seja bem-cuidado. Vejo tantas famílias, tantas pessoas que vem aqui buscando relaxar, buscando lazer e por isso acho tão importante que esteja limpo e organizado”, ressaltou.