22°
Máx
16°
Min

Suspeita de H1N1 e greve dos presos deixam clima tenso na 21ª SDP

(Foto: Polícia Civil) - Suspeita de H1N1 e greve dos presos deixam clima tenso na 21ª SDP
(Foto: Polícia Civil)

A suspeita de um surto de H1N1 causou a interdição da 21ª Subdivisão Policial de Cianorte. Dos 190 presos, cerca de 25% apresentam sintomas. Na quinta-feira (7), sai o resultado dos exames que vai apontar se é apenas uma gripe comum forte ou se os detentos estão realmente com gripe suína.

Além disso, a situação da carceragem em Cianorte é crítica, pois os presos estão em greve. A paralisação teria sido convocada pelo Primeiro Comando da Capital (PCC) para reivindicar a retirada dos detentos da unidade dois da Penitenciária Estadual de Londrina, que sofreu prejuízos consideráveis na última rebelião registrada em outubro do ano passado.

Os detentos também pedem mutirões para dar andamento à análise de processos e acelerar benefícios como progressão de regime. 

Histórico

Há cerca de 15 dias, o primeiro grupo de presos de Cianorte apresentou os sintomas de gripe. Uma semana depois, o número passou para quase 50. A 21ª Subdivisão Policial abriga 190 homens, mas tem capacidade para 44. 

Diante da suspeita do surto de H1N1, dez detentos foram transferidos para a Penitenciária Estadual de Cruzeiro do Oeste, onde estão isolados para tratamento. 

A greve

O protesto dos presos paralisou inclusive os atendimentos de saúde, segundo o subchefe do Departamento de Presídio, Emerson Luiz Gonçalves. “Ninguém entra e ninguém sai. Está tudo sob controle por enquanto, mas o clima é tenso. Aqui em Cianorte nós temos um dos líderes do PCC, que foi preso envolvido em um assalto a caixa eletrônico”, contou. 

Uma operação bate-grade deve acontecer em breve, pois se teme que os presos estejam planejando uma fuga em massa ou motim enquanto fazem a greve.