22°
Máx
16°
Min

Suspeito de integrar quadrilha de assalto a caixas eletrônicos, “Batman” é preso pela Polícia

(Foto: Odilon Araújo/Rede Massa) - Suspeito de assaltar caixas eletrônicos, “Batman" é preso
(Foto: Odilon Araújo/Rede Massa)

A Polícia Civil conseguiu prender nesta terça-feira (16) o “Batman”, como ficou conhecido Rogério Mattos da Luz, de 29 anos, suspeito de integrar uma das maiores quadrilhas de assalto e arrombamento de caixas eletrônicos do país.

“Batman” estava com um mandado em aberto e foi em sua casa, em São José dos Pinhais, por policiais do Centro de Operações Policiais Especiais da Polícia Civil. O rapaz, inclusive, já chegou a possuir dez mandados de prisão, passando por diversas delegacias de Curitiba.

Ele é conhecido no meio policial como um dos principais articuladores de quadrilhas que assaltam carros-fortes e caixas eletrônicos com o uso de explosivos. Ele possui nove processos criminais em nove cidades diferentes, sendo oito no Paraná e uma em Santa Catarina.

A condenação que resultou na prisão tem origem no ano de 2006, quando “Batman” foi preso pelo Cope em posse de três fuzis, uma espingarda calibre 12, pistolas calibre 40 e 380, três granadas, além de carregadores, rádios comunicadores e outros aparatos.

O homem, inclusive, se deu mal em uma tentativa de realizar mais um assalto: acidentalmente, ele detonou uma carga explosiva, perdeu metade do braço direito e teve 70% do corpo queimado. “Ele ficou internado por vários dias entre a vida e a morte no hospital Angelina Caron”, conta o delegado do Cope, Rodrigo Brown.

“Batman” também já protagonizou diversos assaltos cinematográficos. Em 2012, ele e outros suspeitos abordaram um comboio de carros-fortes na Serra da Dona Francisca, em Santa Catarina, utilizando explosivos e armamentos de guerra.

No mesmo ano, Rogério e seu grupo assaltaram mais um carro-forte, desta vez em Curitiba, na divisa entre os bairros Alto Boqueirão e Sítio Cercado, e levaram um malote com R$147 mil. No local do crime, a Polícia encontrou cápsulas de pistola calibre 9mm, de espingarda calibre 12 e de fuzil 762.

Até a expedição deste último mandado de prisão, Rogério encontrava-se em liberdade condicional, respondendo processos criminais nos estados do Paraná, Santa Catarina e São Paulo, já com diversas condenações”, ressaltou Brown. O suspeito permanece à disposição da justiça.