22°
Máx
14°
Min

Suspeitos de furtar joalherias de Curitiba e região são presos pela Polícia Civil

(Foto: Divulgação/Polícia Civil) - Suspeitos de furtar joalherias são presos pela Polícia Civil
(Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Três mulheres e dois homens foram presos nesta quarta (13) e nesta quinta-feira (14), suspeitos de estarem envolvidos em um furto a joalherias de Curitiba e região. Andressa dos Santos, 19 anos e Thayane Raquel Gonçalves Rodrigues, 21 anos foram presas em flagrante tarde de ontem (13).

De acordo com a Polícia Civil, elas estavam dentro de uma loja em um shopping, no centro de Curitiba, com uma aliança de ouro avaliada em R$5 mil e a etiqueta de outra aliança – que tinha sido furtada em outra ocasião – no valor de R$4.500.

Depois da prisão da dupla, os policiais do Centro de Operações Policiais Especiais começaram a investigar se elas não tinham participado de outro furto que ter acontecido na última terça-feira (12), em outro shopping, mas em São José dos Pinhais. “Através de imagens de câmera de segurança foi possível constatar que elas também eram responsáveis pelo crime”, afirmou o delegado-adjunto do Cope, Fernando Zanoni.

No entanto, as investigações não pararam por aí. Os policiais queriam descobrir onde estava esta aliança furtada em São dos Pinhais. Com os depoimentos, a equipe chegou até José dos Santos, 42 anos e Maria Sônia da Silva, 43, proprietários de um escritório de compra e venda de ouro, localizado na Rua XV de Novembro, em Curitiba

O casal afirmou que comprou a aliança das suspeitas por R$640, porém haviam repassado para uma terceira pessoa – identificada como Ricardo José Nogueira Coutinho, de 51 anos, conhecido como “Casadinho” – para que o anel fosse derretido e moldasse um par de novas alianças para um cliente de outro estado.

“Casadinho” foi encontrado pelos policiais em um escritório, no bairro Água Verde, que funciona como uma oficina de ourives. No local, a equipe encontrou a aliança furtada no forro de gesso do banheiro. O homem foi preso em flagrante por receptação qualificada.

Já na delegacia, a equipe notou que a aliança estava sem uma pedra de diamante. “Casadinho” relatou que já havia comprado sem o brilhante. Minutos depois, Maria confessou que estava em sua bolsa e entregou aos policiais.

Andressa e Thayane foram autuadas por furto qualificado tentado e associação criminosa. Se condenadas, elas podem pegar até dez anos de prisão. Já José dos Santos, Maria Sônia e o Casadinho foram indiciados por receptação qualificada. Todos se encontram presos, à disposição da Justiça. As joias foram recuperadas e devolvidas aos proprietários.