27°
Máx
13°
Min

Táxis de Ponta Grossa terão nova cara a partir de maio

(foto: Divulgação) - Táxis de Ponta Grossa terão nova cara a partir de maio
(foto: Divulgação)

Após diversos estudos técnicos e debates junto à categoria dos taxistas, com participação da Fundação Municipal de Turismo e Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes (AMTT), a Prefeitura de Ponta Grossa está definindo um novo padrão para a identidade visual dos automóveis que realizam o serviço de táxi na cidade. O novo layout, que traz detalhes em azul sobre fundo branco, está sendo divulgado pelo Município e entrará em teste nas ruas dentro de aproximadamente duas semanas.

A cidade conta com uma frota de 200 táxis, com cerca de 500 motoristas que se revezam junto aos veículos, em diferentes turnos. No momento em que houver a aprovação final, o processo de padronização da frota será regulamentado pela Prefeitura. A decisão sobre o início do processo de mudança dos atuais carros brancos foi tomada em uma reunião entre a Prefeitura e a categoria na última quarta-feira.

Na avaliação do prefeito Marcelo Rangel, a padronização trará efeitos positivos para a qualidade do serviço. “A modernização visual dos táxis é uma forma de facilitar a localização desses veículos em meio à grande frota de automóveis que circula pela cidade e, também, uma maneira de tornar mais atraente a oferta do serviço. A padronização do visual dos carros pode ser interpretada como um cartão de visitas para os turistas ou viajantes que chegam a Ponta Grossa, demonstrando o comprometimento dos taxistas com um trabalho de qualidade”, relata o prefeito.

Para iniciar a nova identidade, será realizado um período de testes, através de um veículo particular que deverá circular dentro de no máximo duas semanas, segundo a AMTT. “Assim poderemos receber o feedback da população com relação ao novo layout. O objetivo é melhorar a sinalização dos veículos, aumentando a confiança da população de que o táxi é de fato regulamentado, que passou pelas inspeções necessárias e que o motorista é certificado para prestar o serviço. Este é um pedido recorrente que recebemos dentro da Autarquia”, conta o presidente interino da AMTT, Luciano do Vale.

O taxista Agemiro Ribeiro, profissional desde 1992, será o motorista do carro “experimental”. Para ele, a mudança é necessária e irá ajudar a classe a ganhar mais. “Vai melhorar muito a vida de quem vive da praça. É uma melhoria nas nossas condições de trabalho. Com a mudança, de longe a pessoa vai ver que se trata de um táxi regulamentado. O símbolo marca e vai aumentar a credibilidade do nosso serviço. Vai nos ajudar, porque vai dar mais visibilidade”, comenta Ribeiro. “Precisamos contornar a crise. A melhor forma de fazer isso é tendo boas ideias como essa”, acredita.

(com informações da prefeitura de Ponta Grossa)