22°
Máx
16°
Min

Trabalhadores da Volvo voltam ao trabalho

(Foto: Divulgação / Sindicato Metalúrgicos da Grande Curitiba) - Trabalhadores da Volvo voltam ao trabalho
(Foto: Divulgação / Sindicato Metalúrgicos da Grande Curitiba)

Os trabalhadores da Volvo voltaram ao trabalho nesta terça-feira (18), depois de aprovarem a proposta de postergação da data-base apresentada pela direção da montadora. Eles estavam parados desde o dia 4 de outubro e decidiram pelo fim da mobilização durante uma votação secreta realizada ontem (17).

Os funcionários aderiram à paralisação contra a tentativa de redução da reposição da inflação (INPC) em 50%. Eles aprovaram, então, a postergação da data-base que inclui o INPC retroativo a setembro deste ano na data-base de 2017 com aplicação ser definida nas futuras negociações.

Em troca da postergação para o próximo ano, os metalúrgicos irão receber um abono liquido de R$ 5 mil e reajuste de 9,62% no vale-alimentação, que passa de R$ 419,00 para R$ 460,00. Está prevista também a revalidação das demais cláusulas do acordo coletivo de trabalho até 30 de agosto de 2017. Os dias em que os trabalhadores ficaram parados serão compensados com a utilização do banco de horas especial.

“Os trabalhadores estão sofrendo as consequências dos desmandos políticos do país, onde a crise econômica aprofundada pela crise política colocou o setor a patamares inferiores a 2006. Hoje o setor automobilístico está com 67% da sua capacidade produtiva obsoleta e trabalha com apenas 33%”, comentou o presidente do SMC, Sérgio Butka.

Produção

A fábrica da Volvo na CIC emprega cerca de 3.200 trabalhadores, sendo 1.800 da produção (chão de fábrica). A produção diária antes da paralisação estava em 35 caminhões pesados, 14 caminhões médios e 5 ônibus. A montadora sueca também possui um centro de distribuições (C3), em São José dos Pinhais, com cerca de 180 metalúrgicos. No período de paralisação deixaram de ser produzidos cerca de 500 veículos.

Colaboração Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba