21°
Máx
17°
Min

Trabalhadores decidem manter greve no HC

(Foto: Divulgação Sinditest) - Trabalhadores decidem manter greve no HC
(Foto: Divulgação Sinditest)

Os funcionários do Hospital de Clínicas (HC) que atuam na unidade por meio da Fundação da Universidade Federal do Paraná (Funpar) não aceitaram a proposta de reajuste oferecida pela direção do hospital e continuam em greve. A decisão foi tomada em assembleia na manhã desta quarta-feira (8).

A categoria recusou por unanimidade a oferta de reajuste de 5,2% apresentada em audiência no Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT) ontem (7). Os trabalhadores vão apresentar uma contraproposta, de reajuste de 12,06%, que será protocolada no TRT.

“Rebaixamos o primeiro índice e estamos aguardando o tribunal responder, se vai ter uma nova audiência”, comentou o coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Terceiro Grau Público de Curitiba (Sinditest), José Carlos de Assis.

Apesar da continuidade da greve, será mantido o efetivo mínimo no atendimento aos pacientes, conforme ficou acordado na audiência. “Vamos fazer uma escala de greve e garantir o atendimento mínimo. As UTIs, o serviço de emergência e de pronto atendimento terão 100% de trabalhadores. Os setores administrativos e que não são críticas com risco de vida, 50%”, afirmou Assis.

Em nota sobre os impactos da greve hoje, o HC afirmou que a paralisação atingiu 231 dos 851 funcionários da Funpar. De acordo com o hospital, estão com lentidão no atendimento os setores: central de agendamento, ambulatórios, Biobanco e setor de exames. Nenhuma cirurgia foi cancelada, apesar de grande adesão dos trabalhadores que atuam na unidade de processamento de materiais e todos os pacientes, de Curitiba ou de outras cidades, estão sendo atendidos, também com lentidão.