28°
Máx
17°
Min

Trabalhadores têm que ficar descalços para entrar em banco

Três pessoas foram barradas na entrada de uma agência bancária no Jardim Sabará, em Ponta Grossa, por estarem usando botas com a ponta metálica. Tratam-se de calçados que fazem parte do equipamento de proteção individual (EPI) que o grupo usava na hora do almoço, quando tentavam entrar no banco para pagar contas e fazer um depósito.

“Deixei o celular no carro e só entrei na agência com a chave do carro já para evitar problemas, daí coloquei a chave lá [no repositório para objetos metálicos ao lado da porta giratória], tentei entrar e travou [a porta]”, conta um dos homens que foi impedido de entrar na agência. “Tentei de novo e barrou. Daí mostrei para o segurança, falei que estava com pressa e que o calçado tinha biqueira [ponta metálica], mas eles falaram que não podiam entrar”, completa.

O rapaz estava com mais dois amigos mecânicos que também usavam as botas com ponteiras de metal. O EPI, indispensável na hora do trabalho, acabou ficando para fora da agência. “É constrangedor, todo mundo que estava no banco ficou olhando, alguns dando risada. Nunca tinha acontecido isso comigo, foi a primeira vez”, completa o trabalhador.

A confusão aconteceu em uma agência localizada no Jardim Sabará, justamente uma região com várias oficinas e com muitas pessoas que usam os EPIs diariamente. No entanto, não há uma lei que proíba o uso dos equipamentos de segurança dentro de agências bancárias, conforme explica o advogado Fernando Madureira. “O Código de Defesa do Consumidor proíbe esse tipo de procedimento que foi adotado na agência bancária, a porta giratória por si só já traz um constrangimento ao consumidor e esse ato praticado pelo banco é passível de responsabilidade, deve ser movida uma ação por danos morais contra o banco", frisa.

Em nota, a assessoria de imprensa do Banco do Brasil, onde a confusão aconteceu, disse lamentar o ocorrido e garante que os funcionários recebem treinamento para prestar atendimento respeitável aos clientes. Veja a íntegra:

“O Banco do Brasil cumpre as regras de segurança estabelecidas na Lei 7.102/83 e Portaria 387/2006 sendo que seu plano de segurança, incluindo a utilização de porta giratória detectora de metais, deve ser aprovado pela Polícia Federal.

Conforme Norma Regulamentadora nº 6 do Ministério do Trabalho e Emprego, aprovada pela Portaria nº 3214/1978, as botas de segurança com biqueira de aço (EPI) devem ser utilizadas somente no ambiente de trabalho.

O BB lamenta o ocorrido e esclarece que os funcionários recebem treinamento para prestar atendimento sempre respeitoso aos clientes. O cliente foi orientado quanto à utilização do equipamento e entendeu os procedimentos de segurança”.

Colaboração Rafaela Schuinka / Rede Massa.