22°
Máx
17°
Min

Travesti agredida morre após dois meses internada em hospital

A travesti Natascha, agredida no dia 27 de dezembro no bairro Capão da Imbuia, em Curitiba, morreu na manhã desta quarta-feira (24) no Hospital Evangélico. Ela foi atacada e queimada na esquina da rua Paulo Kissula com a Avenida Victor Ferreira do Amaral.  A travesti foi atendida e encaminhada ao Hospital Evangélico, mas não resistiu aos ferimentos. Ela ficou internada por quase dois meses.

A informação foi confirmada pela Comissão Municipal de Direitos Humanos em sua página no Facebook. O organização não governamental Transgrupo Marcelo Prado, que estava acompanhando o estado de saúde de Natascha, também confirmou a morte.

Segundo a comissão, a Assessoria de Direitos Humanos e Igualdade Social da Prefeitura de Curitiba, Secretaria Municipal de Saúde e Fundação de Ação Social também estavam acompanhando o caso de perto.

A travesti sofreu queimaduras de segundo e terceiros graus. A vítima não portava documentação pessoal e seria moradora de rua, o que dificultou sua identificação.

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa havia assumido a investigação da tentativa de homicídio. Na época do crime, testemunhas indicaram que ocupantes de um carro pararam próximo da travesti, desceram do veículo, jogaram a gasolina e atearam fogo. A motivação do crime ainda é desconhecida.