22°
Máx
17°
Min

Trio que planejava explodir muro de penitenciária é preso

Três homens suspeitos de planejar a fuga de detentos da Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP), na região metropolitana de Curitiba, foram presos. O flagrante aconteceu na última sexta-feira (24) e o trio estava com armas, explosivos e 80 quilos de maconha. A polícia investiga se a ação frustrada tem alguma relação com a fuga de cinco presos na manhã de hoje (27), na PEP.

De acordo com a secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária (Sesp), o trio foi preso por policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), a partir de informações do Serviço de inteligência e do Departamento de Execução Penal do Paraná (Depen).

Áudios encontrados em celulares que estavam com eles comprovaram que Johny da Silva, de 31 anos, Marcelo Gramella Bueno, 31, e Wagner José Vital (conhecido como Psico), 35, pretendiam explodir o muro da penitenciária e resgatar os detentos.

“No celular do Psico encontramos um vídeo e fotos de armas de grosso calibre, como fuzil e uma calibre 12, além de troca de conversas que revela um ousado plano de fuga na PEP. Eles iam reunir homens fortemente armados que iriam colocar o explosivo no muro da penitenciária e promover a fuga de presos desta quadrilha que atuam dentro e fora dos presídios”, explicou o delegado titular do Cope, Rodrigo Brown.

Trio que planejava explodir muro de penitenciária é preso

Em um áudio encontrado no celular de Psico, um homem ainda não identificado diz que está aguardando o resgate. “Sorte para todos nós, que a gente consiga fazer ai o que diz a nossa cartilha, o que diz o nosso lema entende mano? Desde sempre ai o crime fortalecendo o crime. É isso que vocês estão fazendo, fortalecendo o crime. É poucos que faz o que vocês estão fazendo. Vindo buscar parceiro de vocês, mas vindo buscar também cara que vocês nunca viu. Tá ligado mano? Mas você pode ter certeza que nos é bandido parceiro. Nós é o crime. Hoje vai ser um dia de sorte pra nós. Vai ser um dia de glória para nós irmãozão. É nóis. Tamo junto. Tamo no aguardo de vocês”.

Silva e Vital já tinham passagens pela polícia por tráfico de drogas e Vitral era foragido, com mandado de prisão por tentativa de homicídio qualificado. A polícia suspeita ainda que os três fazem parte de uma organização criminosa que atua dentro e fora dos presídios.

Os três detidos prestaram depoimento, mas ficaram em silêncio e a polícia tenta identificar as outras pessoas responsáveis pelo plano de fuga.

Colaboração Sesp