27°
Máx
13°
Min

Tríplice Fronteira ganha estudo para o turismo integrado da região

(Foto: Divulgação) - Tríplice Fronteira ganha estudo para o turismo integrado da região
(Foto: Divulgação)

Lideranças dos municípios de Barracão e Bom Jesus do Sul, (sudoeste do Paraná), Dionísio Cerqueira (oeste de Santa Catarina) e Bernardo de Irigoyen (província de Misiones, Argentina) acompanharam a apresentação do Inventário da Oferta Turística e do Plano de Desenvolvimento Integrado do Turismo da Fronteira. O levantamento, realizado pelo grupo de Turismo Integrado, do projeto Fronteiras Cooperativas, e pelo especialista e turismólogo Anery Junior Baggio, credenciado do Sebrae/PR, foi revelado à comunidade da Tríplice Fronteira no auditório da Associação Comercial e Empresarial de Dionísio Cerqueira (SC), Barracão (PR) e Bom Jesus do Sul (PR) (Ascoagrin).

Estiveram presentes o prefeito de Bernardo de Irigoyen, Guillermo Daniel Fernandez; Cezar Bueno, prefeito de Bom Jesus do Sul (PR) e presidente do Consórcio Intermunicipal da Fronteira (CIF); Flavio Berte, vice-prefeito de Dionísio Cerqueira; Marco Aurélio Zandoná, prefeito de Barracão; e Lino Forneron, diretor de Planejamento Estratégico do Ministério do Turismo da província de Misiones (Argentina).

Na primeira parte do evento, foi apresentado o inventário turístico, uma lista ordenada de infraestruturas de apoio ao turismo, serviços e atrativos turísticos. Em seguida, foi mostrado o Plano de Desenvolvimento Integrado do Turismo, documento que analisa os recursos da Fronteira e, com base nas condições de mercado, sugere ações para o desenvolvimento de modo integrado dos quatro municípios que integram a Tríplice Fronteira.

O coordenador do grupo Turismo Integrado, o arquiteto argentino Diego Gimenez, revelou o contentamento em apresentar os resultados de três anos de trabalho voluntário.


 “Apresentamos, a todos os líderes da região, um projeto que tem a ambição de mudar o paradigma da Tríplice Fronteira. É o planejamento estratégico integrado de dois países, três estados e três municípios. Não há nenhum outro projeto turístico com essas características entre Brasil e Argentina”, apontou.

Gimenez explicou que a ideia é envolver as lideranças políticas dos dois países. “Mostrar que na Fronteira há um avanço enorme, uma visão de fronteira integrada, que muitos sonham e que nunca se concretizava”, descreveu. Para Gimenez, os governantes e a comunidade da Tríplice Fronteira precisam conhecer o trabalho feito, para que todo o esforço dos voluntários não fique restrito ao próprio grupo de Turismo Integrado.

A consultora do Sebrae/PR e gestora do projeto Fronteiras Cooperativas, Maria Auria Mülhmann, ressaltou que o relatório apresentado aos prefeitos da Tríplice Fronteira é resultado do esforço e dedicação dos voluntários que integram o grupo de Turismo Integrado. “A proposta do Sebrae/PR foi incentivar a união de empresários de Brasil e Argentina para um objetivo comum: o desenvolvimento da região. O projeto procurou dar protagonismo à comunidade e os resultados estão sendo mostrados agora”, revelou Maria Auria.

Próximos passos

O inventário e o plano de turismo integrado foram bem recebidos pelos representantes do Poder Público e deverão contar com apoio dos governantes para a sua continuidade. “Os relatórios que recebemos, através de uma parceria com o Sebrae/PR e o Sebrae nacional, com o projeto Fronteiras Cooperativas, servirá como uma ferramenta. Vamos obter mais informações do trabalho realizado, para que possamos buscar recursos para viabilizar aquilo que é de responsabilidade do Poder Público”, afirmou o prefeito de Bom Jesus do Sul e presidente do Consórcio Intermunicipal da Fronteira (CIF), Cezar Bueno.

No lado argentino, a recepção também foi positiva. O diretor de Planejamento Estratégico da província de Misiones, que representou o Ministério de Turismo da província, Lino Forneron, destacou que o inventário turístico e o plano integrado são grandes exemplos para a província de Misiones, que tem cerca de 90% de suas fronteiras com o Brasil e o Paraguai.

Lino elogiou a participação de empresários brasileiros e argentinos no projeto e comprometeu-se a conversar com o intendente de Bernardo de Irigoyen e com o governador da província de Misiones para dar continuidade ao trabalho.

“Temos que verificar os mecanismos de financiamento, de gestão entre as partes, que envolve países, não apenas municípios. Com o trabalho já feito aqui, há uma porta aberta para que ações aconteçam em curto tempo”, observou Forneron.

Colaboração Assessoria de Imprensa.