22°
Máx
16°
Min

UEPG abre jornada sobre Justiça Restaurativa

A conferência “Justiça Restaurativa no Brasil” abre a programação da I Jornada de Estudos e Pesquisas sobre Justiça Restaurativa, na quarta-feira (31), numa promoção do programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais Aplicadas da UEPG. O tema será apresentado por Daniel Achutti, da Unilasalle (RS). Resultado das atividades desenvolvidas pelo grupo de estudos em justiça restaurativa do programa (mestrado e doutorado), a jornada visa divulgar e produzir conhecimento sobre o assunto, reunindo estudiosos e profissionais das áreas de Educação, Psicologia, Direito e Serviço Social que pesquisam e trabalham com as práticas de justiça restaurativa.

A literatura disponível na área já aponta experiências exitosas no Brasil, nas áreas da socioeducação, família, escola e comunidades, sendo o evento uma oportunidade de socialização, segundo a professora doutora Dirceia Moreira, da coordenação do evento que prossegue até (2). Na quinta-feira (1º), das 8h30 às 11h30, o programa inicia com a palestra “Justiça restaurativa: teoria e prática”, a ser proferida por Neemias Moretti Prudente (EMAP – PUC/PR e IPE).

O dia traz ainda oficina “Justiça Restaurativa em Ponta Grossa/PR com a presença da professora Glaucia Mayara Niedemeyer Orth e CEJUSC e apresentação de trabalhos (14h às 16h30). Para a noite, está programada a mesa redonda: Mesa redonda: Adolescentes em conflito com a lei, responsabilização e Justiça Restaurativa (19h), com a presença de Adriana Padua Borghi, mestre em Direito, Filosofia do Direito e do Estado pela PUC/SP; psicóloga Aline Pedrosa Fioravante (Especialista, analista judiciária no Tribunal de Justiça do Paraná) e Patrícia Melhem Rosas, na coordenação da mesa.

Temas do Encerramento

A jornada encerra na sexta-feira (02 de setembro) com a mesa redonda “Socioeducação e Justiça Restaurativa” com palestra proferida por Beatriz Gershenson (PUC/RS) e participação de Dirceira Moreira (UEPG), na coordenação da mesa; apresentação de trabalhos; e com a palestra “Justiça Restaurativa: um olhar a partir da comunidade” por Martina Maria Eudosia González Garcia – Educadora em Justiça Restaurativa, Centro de Direitos Humanos e Educação Popular de Campo Limpo - CDHEP/SP.

O espaço de apresentação de trabalhos do evento discute eixos, como Estado e Políticas Públicas e sua Relação com a Justiça Restaurativa; Escola, Comunidade e Cultura da Paz; Direitos Humanos e Justiça Restaurativa; Justiça Restaurativa, Família e Adolescência; e Justiça Restaurativa e Violência Doméstica. A realização da jornada conta com o apoio da Fundação Araucária, Justiça Restaurativa – Tribunal de Justiça do Paraná, e Faculdade Campo Real.

Colaboração Assessoria de Imprensa.