21°
Máx
17°
Min

Único vereador que não foi preso definirá futuro da casa de leis

Único vereador que não foi preso definirá futuro da casa de leis

A pequena Itaipulândia viveu esta semana um dos dias mais conturbados da história da cidade.

Os nove mil habitantes acordaram com a notícia da prisão de oito dos nove vereadores do município, além de quatro funcionários da câmara.

“Nunca tinha visto algo assim. É vergonhoso”, disse o aposentado Celso Petsch.

“Fiquei assustada. Me falaram isso de manhã. Dá muita vergonha”, contou Iraci Becker.

“Se eles erraram, precisam ser punidos”, disse Daniela Rivas.

Com a prisão dos oito vereadores e também dos quatro servidores, sobraram na Câmara de Itaipulândia, apenas um vereador, duas funcionárias responsáveis pela limpeza do local, um contador e uma advogada.

Com isso, a maior preocupação a partir de agora é como vão ficar as sessões que acontecem toda segunda-feira.

A Rede Massa conversou com exclusividade com o único vereador que não foi preso. Roberto Piano ainda não sabe como vai ficar a rotina na câmara com a prisão dos colegas.

“Vamos nos reunir com parte da equipe jurídica que sobrou na câmara. Também vamos procurar para saber o que fazer a partir de agora”, disse o vereador.

As pessoas presas em Itaipulândia são acusadas pelo Gaeco de fraudar valores de diárias de viagens. Há indícios do mesmo crime, também em Santa Terezinha de Itaipu.

Os policiais cumpriram mandados de busca e apreensão na câmara de vereadores da cidade, mas ninguém foi preso. Os acusados devem responder por organização criminosa, peculato, quando a pessoa se apropria de um bem ou dinheiro público, e ameaça. Quem vive na pequena Itaipulândia só espera por justiça.

“Enquanto eu trabalho eles ficam roubando tanto lá em Brasília, quanto aqui na minha cidade”, diz Irmo Libera.

Colaboração: Márcio Falcão / Rede Massa