23°
Máx
12°
Min

Usina de Xisto recebe licença do IAP para aumentar atividades

Unidade da Petrobras em São Mateus do Sul recebe licença para aumentar processamento de lastro oleoso, subproduto do xisto (Foto: Divulgação) - Usina de Xisto recebe licença do IAP para aumentar atividades
Unidade da Petrobras em São Mateus do Sul recebe licença para aumentar processamento de lastro oleoso, subproduto do xisto (Foto: Divulgação)

A Unidade de Industrialização do Xisto (SIX) de São Mateus do Sul recebeu nesta quinta-feira (18) uma licença prévia do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) que permite o aumento da produção do lastro oleoso – subproduto resultado da extração do xisto.

A licença foi assinada e entregue pelo governador Beto Richa ao prefeito Clovis Ledur e ao gerente-geral da SIX, José Alexandrino Machado. Também participaram da cerimônia o vice-prefeito de São Mateus do Sul, Clóvis Distéfano, o presidente da Câmara Municipal, Enéas Melnisk, lideranças políticas, representantes da SIX e de empresas de São Mateus do Sul, além dos vereadores Omar Picheth Neto, Antônio Wilson Waligurski (Bira) e Márcio Antônio de Lima Barbosa.

A entrega da licença ambiental faz parte de uma série de ações que vem sendo tomadas para garantir o funcionamento da unidade em São Mateus do Sul, que corria risco de ser desativada em até dois anos. Na terça (16), o prefeito Ledur recebeu do ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, a garantia de que a usina não vai encerrar as atividades.

Beto Richa destacou que o Governo do Estado está mobilizado com as lideranças da região para que a SIX continue operando em São Mateus do Sul. “Com a liberação da licença ambiental, damos mais um grande passo. Se havia alguma preocupação da viabilidade de operação desta indústria, a licença permite a ampliação da produção, sem aumentar os riscos ambientais”, afirmou.

“Assim que soubemos da possibilidade de desativação da unidade, fomos à luta. Conversamos com o governo do Estado e com o governo federal, mobilizamos a bancada federal e fomos ao ministério”, explicou Clovis Ledur. “Com a licença ambiental será possível aumentar o processamento do lastro oleoso do xisto, que irá garantir a sustentabilidade da refinaria, aumentando o lucro e diminuindo os custos da empresa”.

Colaboração Assessoria de Imprensa.