28°
Máx
17°
Min

Vereadores aprovam projeto de lei que proíbe fracking em Maringá

Tecnologia é utilizada na extração do gás de xisto (Foto: riosvivos.org) - Vereadores aprovam projeto de lei que proíbe fracking
Tecnologia é utilizada na extração do gás de xisto (Foto: riosvivos.org)

A Câmara Municipal de Maringá aprovou, na sessão realizada nessa quinta-feira (15), o projeto de lei que proíbe o fracking no município. O professor Reginaldo Urbano Argentino esteve no plenário para conversar com os vereadores sobre o assunto.

O fracking é uma tecnologia utilizada para a extração de gás de xisto. Segundo o professor, o método é altamente poluente e contamina a água, o solo e o ar. “O fracking causa câncer, infertilidade, doenças neurais e provoca alterações radicais no clima. Alguns países já não importam produtos agrícolas de países onde o fracking é utilizado”, argumentou Argentino.

O professor ainda falou sobre o movimento Não Fracking Brasil, que tem como objetivo incentivar que as cidades brasileiras aprovem leis municipais proibindo a prática.

Projeto

O projeto de lei em Maringá dispõe sobre a proibição da concessão de alvará e/ou licença, tráfego de veículos em vias públicas de competência municipal, outorga do uso de águas de competência municipal, e uso e queima de gases na atmosfera de competência municipal com a finalidade de exploração e/ou explotação de gases e óleos não convencionais (gás de xisto, shale gas, tigh oil e outros) pelo método de fratura hidráulica - "fracking" - e refraturamento hidráulico - "re-fracking" .

Colaboração Câmara Municipal de Maringá