22°
Máx
16°
Min

Acadêmicos fazem críticas à reforma da Previdência e CPMF a secretário da Fazenda

O secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Manoel Carlos de Castro Pires, ouviu nesta segunda-feira, 22, durante reunião com economistas de universidades críticas à reforma da Previdência, nos termos que têm sido colocados. Também foram feitas críticas à intenção do governo de recriar a CPMF. As informações foram dadas ao Broadcast (serviço de notícias em tempo real da Agência Estado) pelo professor de economia da PUC-SP Antonio Corrêa de Lacerda.

De acordo com o economista, seus colegas também questionaram o suposto desencontro entre as políticas fiscal e monetária no atual governo. "Eu mesmo coloquei para o secretário que os efeitos da política monetária impedem o acerto na política fiscal", disse Lacerda. O professor acrescentou que o aumento da Selic acaba encarecendo o custo da dívida, retirando do sistema recursos que poderiam ser destinados a investimentos, o que prejudica a arrecadação.

Quanto ao retorno da CPMF, segundo Lacerda, os economistas disseram ao secretário que o governo deveria atacar outras frentes, como as reformas estruturais. Segundo ele, a reunião de hoje cumpre promessa anterior do Ministério da Fazenda, de se encontrar com economistas da academia. E um novo encontro, de acordo com Lacerda, será agendado.

Lacerda afirmou ainda que o secretário agiu como se já esperasse receber críticas em relação às políticas que estão sendo adotadas. Pires não respondeu às críticas, mas fez anotações e disse que as levaria ao ministério.