24°
Máx
17°
Min

Aécio diz que Ricardo Ferraço assumirá posição estratégica no PSDB

(Foto: George Gianni/PSDB) - Aécio diz que Ricardo Ferraço assumirá posição estratégica no PSDB
(Foto: George Gianni/PSDB)

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), afirmou nesta terça-feira, 1º, que o ex-peemedebista Ricardo Ferraço (ES) terá papel estratégico na direção nacional do partido tucano e na liderança da sigla no Senado Federal. Ferraço oficializou a sua filiação ao PSDB, com a presença do senador José Serra (SP) e de líderes da oposição, no Congresso Nacional.

"Ferraço terá um papel importante ao meu lado na construção não só da agenda no período pós-Dilma, mas também de uma articulação política que dê estabilidade ao Brasil quando essa triste página da nossa história, protagonizada pelo PT e seus aliados, virar", afirmou Aécio, já considerando o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

O líder do PSDB disse ainda que Ferraço é "uma das maiores lideranças da política brasileira" e, portanto, sua saída da base governista é significativa. "Neste momento, o papel da oposição é essencial para que o Brasil tenha uma alternativa a esse desgoverno que aí está. Poucas filiações no PSDB foram tão festejadas como a de Ferraço", disse Aécio.

O ex-peemedebista justificou sua filiação ao partido tucano "em razão da deterioração do ambiente político e econômico, com reflexo social". "A minha filiação ao PSDB vem nesse sentido de poder exercer a militância política com mais clareza e mais firmeza, fazendo coro com a sociedade brasileira, que não suporta mais as circunstâncias de ser governado por uma presidente que perdeu não só a popularidade, como a credibilidade", completou.

O senador Ricardo Ferraço, que havia anunciado a sua saída do PMDB há duas semanas, oficializou a sua filiação ao PSDB, na liderança do partido tucano no Senado Federal. Nas eleições presidenciais de 2014, Ferraço apoiou o candidato tucano, o senador Aécio Neves (MG). Com a movimentação, o PMDB ficará com 17 senadores e o PSDB, que tem 11 senadores, poderá aumentar para 12.

No início da tarde desta terça, Aécio reúne-se com líderes da oposição e de movimentos sociais para discutir as manifestações do próximo dia 13.