22°
Máx
14°
Min

"Ainda tem muita coisa que não se sabe", diz Dilma sobre corrupção

A presidente Dilma Rousseff (PT) avaliou nesta terça-feira, 19, em entrevista a jornalistas estrangeiros, que ainda há muita coisa que não se sabe sobre corrupção no Brasil e que nem tudo está "escancarado". Ela ainda comparou a Operação Lava Jato "a um raio em céu aberto" e retomou o discurso de que a corrupção foi revelada e lançada à luz por causa de medidas tomadas nos governos dela e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

"Foi preciso a (lei da) delação premiada, o reconhecimento da independência dos procuradores, uma atitude da Polícia Federal e um conjunto de leis para que isso fosse descoberto", disse. Dilma afirmou ainda que a corrupção sempre foi feita "às escuras" para justificar o fato de ela não saber dos fatos revelados pela Operação Lava Jato. "Ainda tem muita coisa que não se sabe. Não vamos acreditar que está tudo escancarado".

A entrevista da presidente durou mais de uma hora e os jornalistas da imprensa brasileira foram proibidos pelo Planalto de participar do encontro, mesmo como ouvintes. Na segunda, 18, em procedimento idêntico com a imprensa nacional, os jornalistas estrangeiros puderam acompanhar a entrevista, mesmo sem fazer perguntas.