27°
Máx
13°
Min

Alckmin defende mudar itinerário de ato

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou na quarta-feira, 8, que a Secretaria de Segurança Pública do Estado se reuniu com deputados federais e estaduais, além de políticos, como o ex-senador Eduardo Suplicy (PT), para recomendar que as próximas manifestações não terminem no Largo da Batata.

O local no bairro de Pinheiros, na região oeste da capital paulista, foi palco de conflito envolvendo a Polícia Militar e manifestantes contra o governo Michel Temer no domingo.

Segundo o governador, por ter apenas uma estação de metrô, a alta concentração de pessoas num único local dificulta a dispersão, levando a tumultos - diferentemente da Avenida Paulista, onde a dispersão das pessoas é diluída porque há várias estações na região.

Mais um protesto contra Temer e a favor de nova eleição presidencial está marcado para esta quinta-feira, com previsão de começar e terminar no Largo da Batata. Na página do evento no Facebook, também está previsto um protesto em frente à casa do presidente em São Paulo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.