24°
Máx
17°
Min

Alckmin reage à indicação de Lula dizendo que Brasil precisa virar a página

Na iminência de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva assuma o cargo de ministro no governo Dilma Rousseff o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse nesta terça-feira, 15, que o Brasil não pode "voltar à página anterior".

O breve comentário foi feito na saída do Ministério da Fazenda, onde Alckmin e outros governadores discutiram com o ministro Nelson Barbosa o alongamento das dívidas dos Estados.

"Cabe à presidente escolher seus ministros, aqueles que compõem a sua equipe. Eu apenas entendo que o Brasil precisa virar a página, e não voltar à pagina anterior", afirmou.

Lula está reunido com a presidente Dilma e deve ser nomeado para o cargo de ministro-chefe da Secretaria de Governo, no lugar de Ricardo Berzoini. O ex-presidente é investigado pelo ministério Público e pela Polícia Federal.

Caso a indicação seja oficializada, ele passa a ter foro privilegiado e decisões como o pedido de sua prisão, hoje em mãos do juiz Sérgio Moro, passariam à alçada do Supremo Tribunal Federal (STF).

Impeachment

Após o encontro com Barbosa, Alckmin pediu agilidade nas decisões que podem derrubar a presidente Dilma Rousseff do cargo. Num cenário de dificuldades políticas que travam o Congresso, o governador defendeu a aprovação rápida do projeto que trata do alongamento das dívidas dos Estados.

"É preciso acelerar as decisões, seja de impeachment, seja do TSE. O Brasil precisa funcionar, precisamos garantir o emprego, precisamos investir, as instituições precisam trabalhar, não pode ficar tudo parado em razão disso", afirmou.