28°
Máx
17°
Min

Apesar das discussões e pedidos de adiamento, parcelamento da dívida do IPMC é aprovado

(Foto: Divulgação/CMC) - Parcelamento da dívida do IPMC passa em primeira votação
(Foto: Divulgação/CMC)

As discussões foram acaloradas, teve sessão suspensa, teve pedidos de adiamento, para que a pauta fosse trancada, protesto dos integrantes de sindicatos, mas, no fim das contas, o projeto que autoriza a Prefeitura de Curitiba a parcelar a dívida de R$ 212 milhões do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Curitiba (IPMC). 

Dezoito vereadores votaram sim, 12 foram contrários e dois se abstiveram. Aprovado em primeira votação, a proposição volta ao plenário nesta quarta-feira (9).

Quatro emendas ao projeto foram apresentadas, e todas foram rejeitadas. A primeira delas previa que a Prefeitura não ficasse dispensada de pagar a multa. Foram nove votos sim, 2 abstenções e 13 votos não; a segunda emenda, contou com 19 votos não, 6 sim e 2 abstenções; a terceira emenda, que previa o parcelamento em 12 vezes, ao invés dos 60 meses, teve 9 votos sim, 16 não e 1 abstenção; a quarta emenda, que reduziria de 180 para 60 dias o prazo de possível atraso no pagamento da dívida, recebeu 10 sim, 2 abstenções e 15 nãos.

Demais projetos

Com 28 sim e um voto contrário, o projeto que torna e utilidade pública a Associação Paranaense dos Artistas Sertanejos e Amigos, foi aprovado em primeiro turno. O voto contrário de uma das vereadoras, foi justificado pela falta de um documento, um balanço do contador que deveria ser anexado ao projeto e que não foi. O autor do projeto afirmou que o documento será anexado até amanhã (10).

Em segundo turno, por unanimidade, foi aprovado o projeto que denomina bem público de Faustino Fávaro. Outros dois projetos, foram adiados e retornam na pauta nesta quarta-feira.