24°
Máx
17°
Min

Após 3ª denúncia pelo STF, Cunha volta a negar participação na Lava Jato

O presidente afastado da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), divulgou nesta sexta-feira, 1, nova nota onde nega a responsabilidade em qualquer fato mencionado pelo ex-diretor da Caixa Econômica, Fábio Cleto, em delação premiada, que motivou a terceira denúncia pelo Supremo Tribunal Federal.

"Desconheço o conteúdo da delação, porém quero desmentir com veemência os supostos fatos divulgados e desafio a provarem", escreveu o parlamentar em comunicado. "O delator, ao que parece, é réu confesso de práticas irregulares as quais cabe a ele responder por elas".

Cunha disse que não tem operador nem gestor financeiro, e não autorizou ninguém a tratar de negócios em nome dele. "Lamento que todas as denúncias formuladas são baseadas em palavras de delator, com histórias fantasiosas", afirma.

Pela manhã, Cunha já havia divulgado uma nota, rebatendo as revelações de Cleto, que motivaram mais uma operação da Polícia Federal, na qual foi preso o agente do mercado financeiro Lucio Funaro, considerado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o operador do presidente afastado da Câmara no esquema.