24°
Máx
17°
Min

Após defesa de Dilma, Cardozo chora e se diz indignado com fala de Janaína

Bastante emocionado, o ex-ministro José Eduardo Cardozo não conseguiu segurar as lágrimas depois de apresentar a defesa da presidente afastada, Dilma Rousseff, no plenário do Senado. Ele classificou de "muito injustas" as palavras da acusação, de que o afastamento da petista teria como objetivo o bem das gerações futuras.

"As palavras da acusação foram muito injustas. Para quem conhece a presidente Dilma, pedir a condenação para defender os seus netos, foi algo que me atingiu muito fortemente", disse Cardozo.

Questionado sobre o motivo de estar tão emocionado, Cardozo respondeu que ele jamais vai perder a capacidade de se indignar diante das injustiças. "Aquele que perde a capacidade de se indignar diante da injustiça, perdeu a sua humanidade, por isso eu me emocionei."

Em sua exposição, a advogada de acusação, Janaína Paschoal, uma das autoras do pedido de impeachment pediu desculpas pelo sofrimento causado em Dilma, mas disse que fez "isso também pensando nos netos dela".

A fala causou reação imediata no plenário. Ela foi chamada de "golpista" pelo deputado José Guimarães (PT-CE).

Assim que acabou a sua explanação no plenário, Cardozo foi abraçado por senadores aliados. Parlamentares a favor do impeachment também o cumprimentaram. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), aplaudiu efusivamente a sua fala.