22°
Máx
14°
Min

Após questionarem Dilma, senadores vão às redes sociais para comentar respostas

Impedidos de fazer réplicas às respostas de Dilma Rousseff (PT) no Plenário do Senado, senadores estão recorrendo às redes sociais para comentarem as falas da presidente afastada após ela responder aos questionamentos feitos.

Paulo Paim (PT-RS) reafirmou que acredita que Dilma é inocente após ouvir a resposta dela ao seu pronunciamento. "A presidenta @dilmabr tem uma história inatacável, honesta e fiel as causas do povo brasileiro #DilmaÉInocente", escreveu o parlamentar.

A senadora Vanessa Graziottin (PCdoB-AM) reforçou a tese do golpe depois de descer da tribuna e ouvir Dilma. "A história será implacável com os que defendem a mentira e o engodo. O golpe está exposto", disse no Twitter.

Fátima Bezerra (PT-RN) criticou o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que questionou Dilma se ela se considerava responsável pela crise econômica. "Golpe dos Derrotados pelo voto! Falta de grandeza Sen.@AecioNeves é não respeitar o resultado das urnas!"

Humberto Costa (PT-PE) ressaltou que Dilma responde a todas as perguntas "com a precisão e a cabeça erguida de sempre".

O oposicionista José Medeiros (PSD-MT) afirmou que a presidente Dilma apresenta contradições no Senado. "Presidente Dilma ora nega pedaladas, ora diz que não são crimes, ora chora ora ri. Retrato do seu governo. #contraditório", afirmou.

Alvaro Dias (PV-PR) publicou uma foto de manifestações pró-impeachment para rebater tese da presidente afastada dizendo que tem apoio popular. "Dilma disse que o processo de impeachment dela não nasceu nas ruas? Isso não é verdade!", escreveu o parlamentar.

Ao compartilhar vídeo com seu questionamento à presidente afastada, Ricardo Ferraço (PSDB-ES) afirmou que falou para Dilma "das terríveis consequências de suas mentiras para o Brasil".

Já Ana Amélia Lemos (PP-RS) criticou Dilma por insistir na tese de "golpe" em suas falas. "Que golpe é esse onde a acusada tem direito à ampla defesa e vem ao Senado depor?"