21°
Máx
17°
Min

Ato pró-Dilma reúne 15 mil pessoas em Porto Alegre, segundo organizadores

Organizadores do ato em defesa da presidente Dilma Rousseff na capital gaúcha estimam um público de 15 mil pessoas na Praça da Matriz, no centro da cidade, neste domingo, 17. Mais cedo, falava-se em 6 a 8 mil pessoas, mas a mobilização cresceu ao longo da tarde.

A vigília que ocorre no centro de Porto Alegre é organizada pela Frente Brasil Popular. Durante o dia, houve apresentações musicais e "coxinhaço" - a prática de assar e distribuir coxinhas de galinha se tornou comum em manifestações a favor do governo federal no Rio Grande do Sul. Foram instalados dois telões para que os participantes pudessem acompanhar a votação na Câmara dos Deputados.

O clima no local é pacífico. Apesar de o voto pelo impeachment estar liderando na Câmara, os manifestantes pró-Dilma se mantêm mobilizados e vibram a cada voto "não". À medida que a votação avança, no entanto, as comemorações vão se tornando mais contidas. Durante o dia, o sentimento era de que o governo conseguiria o apoio necessário para barrar o impeachment. O presidente do PT no Rio Grande do Sul, Ary Vannazi, chegou a dizer que o clima havia mudado em Brasília e que a Câmara não "aprovaria o golpe".

Porto Alegre é palco de duas manifestações neste domingo. Os defensores do impeachment acompanham a sessão parlamentar em dois telões instalados no Parque Moinhos de Vento, o Parcão. De acordo com o Movimento Brasil Livre, o público estimado, à tarde, era da 25 mil pessoas. Durante a votação, os presentes festejam a cada voto "sim" e vaiam os votos "não".

A Brigada Militar faz o policiamento nos dois atos, mas não irá divulgar nenhum cálculo de público.