22°
Máx
16°
Min

Austeridade nos gastos norteará campanhas à Prefeitura em Salvador

A campanha eleitoral das principais coligações na disputa pela Prefeitura de Salvador neste ano tende a ser modesta. Tanto DEM, quanto PCdoB afirmam que devido à nova legislação eleitoral, os gastos devem ser monitorados com austeridade.

Ambas legendas lideram alianças em torno das quais o pleito deve se polarizar. A coligação liderada pelo DEM é composta por mais 12 partidos e tem à frente o prefeito ACM Neto. Já a aliança puxada pelo PCdoB conta com mais quatro siglas e tem como candidata a deputada federal Alice Portugal.

Cotado para ser o coordenador financeiro da campanha de Neto, o deputado federal e presidente regional do DEM na Bahia, José Carlos Aleluia, diz que os gastos nesta eleição serão austeros. "Ainda teremos algumas reuniões antes de definirmos o meu papel nesse pleito que certamente reconduzirá o prefeito ao posto de comando da capital baiana", diz Aleluia.

O deputado evita falar sobre números e diz apenas que a campanha do DEM seguirá à risca as novas orientações da legislação eleitoral. Segundo ele, "uma parte substancial" do que for amealhado deverá sair do Fundo Partidário. "O restante virá de doações oficiais legais. A orientação do candidato é a de que não corramos riscos. O que posso antecipar é que será tudo bem comedido", diz Aleluia, que aplaude a decisão que limita os gastos nas campanhas eleitorais. "Felizmente teremos uma campanha com custos reduzidos", diz ele.

No PCdoB, a candidata Alice Portugal diz esperar união e desprendimento financeiro da militância. Um dos cinco coordenadores da campanha, Vicente Neto, afirma que serão três as fontes básicas de arrecadação da campanha: o Fundo Partidário, que segundo ele, tem pouco a oferecer, já que o PCdoB não é uma legenda das mais robustas; um jantar de adesão, que está agendado para o próximo dia 25 de agosto, e uma campanha que deverá funcionar durante todo o período pré-eleitoral, na internet.

"Essas são, basicamente, as nossas possibilidades de arrecadação. As nossas campanhas são sempre muito modestas, gastamos muita saliva, sola de sapato e pouco dinheiro. Foi assim nas campanhas de Alice, tanto para deputada estadual quanto federal. Contamos fortemente com a empolgação da militância. Como temos cinco partidos na coligação, nossas expectativas tornam-se maiores. Quanto mais gente envolvida maiores as nossas chances", apostou.