28°
Máx
17°
Min

CCJ rejeita recurso de Cunha e processo de cassação vai a plenário em agosto

O deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) sofreu derrota nesta tarde de quinta-feira, 14, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. Com 40 votos favoráveis e 11 contrários, os membros do colegiado aprovaram relatório de Max Filho (PSDB-ES) que rejeita recurso do peemedebista. Com isso, o processo segue para votação em plenário, última etapa do processo que pode levar à cassação do parlamentar.

O resultado ainda precisa ser lido em plenário, publicado no Diário da Câmara dos Deputados no dia seguinte e, 48 horas depois, posto em pauta. Já que a Casa vai interromper os trabalhos amanhã para "recesso branco", a conclusão do processo, que já dura mais de oito meses, fica para agosto.

Depois que o relatório de Ronaldo Fonseca (Pros-DF), que anulava a votação do Conselho de Ética que aprovou a cassação de Cunha, foi rejeitado pelos membros da CCJ, o relator substituto Max Filho apresentou seu voto, rejeitando todos os pontos dos recurso de Cunha.

Cunha chamou de falta de respeito o fato de o parecer de Max Filho ter sido apresentado rasurado. "Fazer um parecer dessa forma só mostra o açodamento (do processo). É óbvio que vou arguir a nulidade no Supremo Tribunal Federal (STF)", disse.