23°
Máx
12°
Min

Cerca de 35 mil manifestantes saíram às ruas em Campinas (SP)

Os organizadores da manifestação pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) em Campinas calculam que 35 mil pessoas ocupavam a Avenida Norte-Sul, no bairro Cambuí, por volta das 17h deste domingo, 17. A Polícia Militar não divulgou um balanço do número de manifestantes, que só deve ser feito após o encerramento do ato no final da votação na Câmara. Nenhuma ocorrência foi registrada até às 17h.

Segundo Ronald Tanimoto, coordenador estadual do Movimento Brasil Livre (MBL), a expectativa é que o número total de pessoas que passem pela avenida durante toda a manifestação chegue a 100 mil. O número, entretanto, está abaixo da expectativa da organização, que falava em 300 mil manifestantes. Para fazer a contagem, o MBL está usando imagens feitas por um drone.

No último ato em favor do impeachment na cidade, os organizadores disseram que 100 mil pessoas estiveram presentes, enquanto a Polícia Militar avaliou em 70 mil. Por conta do grande número de participantes, a organização decidiu mudar o local do Centro para a Norte-Sul, que pode abrigar muito mais pessoas sem causar grandes problemas no trânsito.

Os manifestantes acompanham a votação em dois telões colocados na avenida, junto a caminhões de som. Outro caminhão de som tem uma banda de rock que está animando a manifestação.

Os organizadores do movimento estavam convocando os manifestantes a continuarem a mobilização mesmo que o prosseguimento do impeachment seja aprovado. Eles conclamaram os participantes a derrubarem governadores, prefeitos e todos os políticos acusados de corrupção no País. Nem mesmo o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o senador Aécio Neves (PSDB-MG) foram poupados. "Mexeu com Moro, mexeu comigo. Mexeu com Cunha, eu nem ligo. Mexeu com Moro, mexeu comigo. Mexeu com Aécio, eu nem ligo".