22°
Máx
14°
Min

Citados na lista da Odebrecht dizem que valores recebidos foram decladores ao TRE

Em uma curta nota divulgada na tarde desta quarta, 23, o vice-líder da oposição na Câmara, deputado Raul Jungmann (PPS-PR), confirmou ter recebido R$ 100 mil de empresas da empreiteira Odebrecht. Jungmann é um dos políticos listados na planilha apreendida na casa do presidente da Odebrecht Infraestrutura, Benedicto Barbosa Silva Junior.

"Este valor foi apresentado na prestação de contas ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), devidamente aprovada sem restrições", declara o deputado.

Essa é a maior relação de políticos (ao menos 200) e partidos associada a pagamentos de uma empreiteira até agora. No início da tarde, o juiz federal Sérgio Moro decretou sigilo sobre a superplanilha da Odebrecht. O magistrado pediu ao Ministério Público Federal que se manifeste sobre 'eventual remessa' da documentação ao Supremo Tribunal Federal (STF).

O candidato a vereador do Recife em 2012, Jarbas Filho (PMDB), filho do deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), disse também em nota que todas as doações que recebeu em sua campanha foram declaradas e aprovadas.

Planilhas apreendidas pela Polícia Federal na casa de Benedicto Barbosa Silva Junior, presidente da Odebrecht Infraestrutura, citam Jarbas Filho e atribuem a ele o apelido de "Viagra", além de citar valor 100, que seriam R$ 100 mil.

"Todas as doações de campanha que recebi em 2012, quando tentei uma vaga para a Câmara de Vereadores do Recife, foram declaradas e aprovadas. Dentro dessa prestação, existem doações de empresas privadas, pessoas físicas e dos diretórios estadual e nacional do PMDB, meu partido. Tudo formalizado, seguindo as orientações legais e disponibilizado no site do Tribunal Superior Eleitoral", afirmou Jarbas Filho em nota.