23°
Máx
12°
Min

Cláudia Cruz diz que gastos na Europa foram bancados pelo próprio patrimônio

A jornalista Cláudia Cruz, mulher do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e quatro filhos do casal defenderam ontem a família das acusações que vêm sofrendo durante o programa Conexão Repórter, do SBT, exibido na madrugada desta segunda-feira (12). Intitulada "O Homem das Sombras", a reportagem acompanhou Cunha e seus familiares por duas semanas. Nesta segunda-feira, o parlamentar terá a cassação de seu mandato apreciada pelo plenário da Câmara.

"Quando você sabe que a tem a verdade, em qualquer situação, você enfrenta. É o que a gente está fazendo", disse Cláudia. "Eu viro um bicho quando fazem acusações", disse Bárbara Cruz da Cunha, a Babu, filha de 19 anos do casal.

A jornalista negou que tenha feito gastos em lojas de luxo na Europa com dinheiro de propina, como acusa a Procuradoria-Geral da República. "Os recursos eram do meu patrimônio. Invadiram a minha privacidade. Trabalhei a vida inteira, tenho o meu dinheiro e condição financeira de comprar e fazer o que fiz. Recebi uma grande indenização trabalhista. O dinheiro não vem de propina."

Cláudia também negou que tenha gasto dinheiro obtido ilegalmente para fazer um curso de tênis em uma academia de alto padrão nos Estados Unidos. "Dizem que sou exímia jogadora de tênis, eu ouço tantas mentiras... Por acaso, não sei jogar tênis." Os recursos teriam sido enviados para o pagamento de um ano de colégio de um dos filhos de Cunha. "Meu enteado estudou numa escola nos Estados Unidos especializada em esportes."

Sobre a possibilidade de o casal ser preso e condenado pela Justiça, Cunha e Cláudia tentaram demonstrar confiança. "Não tem motivos para sermos presos, não cometemos nenhum delito", disse o parlamentar. "Eu não tenho medo", afirmou a jornalista. "O que mais incomoda é sermos tratados como mentirosos, como fúteis. Isso é o pior."

Ela se disse "apaixonada" pelo marido, a quem considera um homem de "caráter, sincero e inteliente". "A família fica abalada (com as denúncias), mas a gente tem uma estrutura bem legal." Cunha, segundo Cláudia, "está e ficará na história".