22°
Máx
16°
Min

Com Brant em BH, Lacerda fala em candidatura 'imposta' por tucanos

Na convenção do PSB para lançar o executivo Paulo Brant à disputa pela prefeitura de Belo Horizonte, o atual prefeito Márcio Lacerda afirmou neste domingo, 31, que o PSDB ficou "frustrado" pelo fato de sua legenda não ter aceitado apoiar uma candidatura, a de João Leite, "imposta" pelos tucanos.

Para o PSDB, Lacerda foi "indelicado". Na quinta-feira, 28, na convenção de lançamento de Leite, o senador Aécio Neves - ex-aliado de Lacerda - afirmou em discurso que "não há nada mais relevante do que a lealdade aos companheiros, às ideias e aos caminhos escolhidos".

Na avaliação de Lacerda, os tucanos, porém, tiveram dificuldades em aceitar seu posicionamento. "Há provavelmente alguma frustração por não estarmos apoiando a candidatura imposta. Vamos dizer a palavra certa: imposta pelo PSDB", disse o prefeito.

Em sua primeira eleição, em 2008, Lacerda recebeu o apoio de Aécio, então governador de Minas, e de Fernando Pimentel (PT), que era prefeito da capital e hoje governa o Estado. Na segunda disputa, apenas Aécio o apoiou.

Quanto a Pimentel, Lacerda afirmou que não houve nem sequer conversar em torno de uma possível aliança. "Hoje há apenas a convivência que o prefeito de uma capital precisa ter com o Estado."

O candidato do PSB disse que vai dar continuidade aos trabalhos de Lacerda. "Faço o que acho que tem de ser feito. Nossa preocupação é formular um plano de governo que dê continuidade às gestões de Lacerda com inovações", afirmou.

Brant foi secretário estadual de Cultura, durante um dos dois mandatos de Aécio como governador de Minas. Ele também trabalhou como servidor concursado do Banco de Desenvolvimento do Estado de Minas Gerais (BDMG). Atualmente o candidato do PSB é executivo da multinacional japonesa Celulose Nipo-Brasileira (Cenibra).

Indelicadeza

Em nota, o PSDB de Minas afirmou que o prefeito de Belo Horizonte foi "indelicado" e disse que Lacerda "tem faltado com a verdade na tentativa de encontrar uma explicação para o rompimento unilateral da aliança não só com o PSDB, mas com vários outros partidos que tornaram possível a sua vitória em 2012".

A legenda afirmou também que o atual prefeito retirou Brant dos quadros tucanos e o filiou ao PSB "em silêncio" e que a escolha pelo candidato para a disputa deste ano foi feita de forma "individual". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.