22°
Máx
17°
Min

Contra Maranhão, aliados de Cunha querem eleição de presidente no dia da CCJ

(Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil) - Aliados de Cunha querem eleição de presidente no dia da CCJ
(Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil)

Diante de um impasse entre líderes de partidos e o presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), aliados a Eduardo Cunha (PMDB-RJ) defendem que a eleição do novo presidente da Casa ocorra na próxima terça-feira, 12. A data é a mesma da reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que vai analisar recurso de Cunha sobre seu processo de cassação.

Como as comissões temáticas não podem funcionar quando é iniciada a ordem do dia, a eleição do presidente impediria o funcionamento da CCJ, que precisaria ser adiada, podendo ser retomada apenas após o fim dos trabalhos no plenário ou até em outro dia. Isso daria mais tempo a Cunha no processo contra seu mandato. "Hoje é prioridade na Casa a eleição do presidente. Se a reunião da CCJ tiver que ser depois, é isso que tem que acontecer", disse Carlos Marun (PMDB-MS).

Um dos principais defensores de Cunha na Casa, o peemedebista disse que foi o primeiro a sugerir a eleição na terça-feira. A data ainda não está definida, já que Maranhão insiste que a sessão seja na quinta-feira, dia 14.

O primeiro secretário da Casa, Beto Mansur (PRB-SP), que elogiou Cunha pela boa condução da Câmara, apesar de seus problemas pessoais, disse que vai tentar convencer Maranhão de que a eleição do presidente precisa ser na terça. Essa foi a decisão tomada por maioria dos líderes en reunião realizada ontem.

Em retaliação à decisão das lideranças, Maranhão demitiu nesta manhã o Secretário Geral da Mesa da Câmara, Silvio Avelino, que acompanhou a reunião entre os parlamentares. "Dentro do regimento, o colégio de líderes é soberano", disse Mansur. "Parece briga de criança, de quem vai ficar com a bola".