26°
Máx
19°
Min

CPI da Pecúlio quer saber relação de investigados com a Sanepar

Foto: CMFI - CPI da Pecúlio quer saber relação de investigados com a Sanepar
Foto: CMFI

A CPI que investiga as denúncias deflagradas pela Operação Pecúlio, da Polícia federal, decidiu em reunião interna na manhã desta quarta-feira (08), fazer um relatório preliminar à Assembleia Legislativa do Estado do Paraná – ALEP, solicitando que a ALEP investigue as relações entre os investigados- dois ex-secretários de obras (Evori e Cristiano) e um secretário de planejamento – Rodrigo Becker)- também funcionários e ex-funcionário da empresa de saneamento do Paraná - e a Sanepar e os contratos das empresas investigadas pela Operação Pecúlio com a Sanepar e, ainda, a relação do atual chefe do IAP, Micael Sensato, com a empresa de Saneamento e as empresas investigadas.

Segundo dados que estão de posse da CPI, só em 2015 foram contratados cerca de 19 milhões com a empreiteira SR Terraplenagem.

“Tudo leva a crer que um grupo reduzido de funcionários ligados à empresa Sanepar se especializou em serem donos ou ‘testa de ferro’ de um pequeno grupo de empresa para fazer contratos com o setor público (Prefeitura, autarquias, Estado e União). Isso precisa ser investigado em todas as dimensões”, defendeu o Presidente da CPI, vereador Dilto Vitorassi (PV). 

O Vereador Nilton Bobato (PcdoB), afirmou que “quando chegar para a CPI o relatório da Polícia Federal, vamos convocar as pessoas que entendemos também estarem envolvidas: Melquizedeque de Souza e Carlos Juliano Budel”.

A CPI é presidida pelo Vereador Dilto Vitorassi (PV) e composta pelos parlamentares: Edílio Dall´Agnol (PSC) – Relator e Nilton Bobato (PCdoB) – membro.

OS DEPOIMENTOS

A semana de depoimentos contou com a análise documental e a oitiva de 12 pessoas entre denunciados e colaboradores. Dentre os depoimentos mais esperados estavam o do empresário Nilton João Beckers e o do ex-secretário de Planejamento Rodrigo Becker, detidos e que aguardam posicionamentos judiciais.

No depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito, Nilton Beckers, orientado pelos seus advogados, se reservou no direito de permanecer calado, alegando que os supostos fatos que incriminam eles são apenas conteúdo de denúncias apresentadas pelo Ministério Público Federal e pela Polícia Federal.

Segundo os advogados de Beckers, o cliente só irá se pronunciar em juízo e não construirá provas contra ele mesmo.

Ou seja, tudo o que foi apresentado até o momento está sendo contestado pelos advogados de defesa que são os mesmos profissionais que atuam na defesa de Rafael Sperfeld, Vilson Sperfeld, Fernando Bijari e Edson Dutra, que também se reservaram no direito de permanecerem calados durante as oitivas da Comissão Parlamentar de Inquérito.

Em depoimento aos integrantes da Comissão, o ex-secretário de Planejamento da Prefeitura de Foz, Rodrigo Becker, se reservou no direito de explicar fatos indagados sobre a origem do dinheiro que levou ele (Becker) a fazer parte da sociedade de uma Universidade particular em São Miguel do Iguaçu, bem como respondeu a perguntas sobre o processo de participação da empresa dele – Becker e Beckers – em obras de saneamento e infraestrutura em Foz do Iguaçu.

Como todos os depoimentos fazem parte de sigilo de informação, a Comissão Parlamentar de Inquérito apenas ressaltou alguns esclarecimentos superficiais que em nada atrapalham o processo de condução dos trabalhos da Polícia Federal, do Ministério Público Federal e mais a frente Judicial.

Além de Rodrigo Becker e Nilton Beckers, ainda forma ouvidos pela CPI, Aldemir Gautino dos Santos. Os detalhes da oitiva de aldemir fazem parte dos autos da investigação da CPI e deverão ser liberados após a conclusão do relatório.

Outro colaborador a prestar depoimento foi o César Cordiolli, Presidente da AIEC - Associação Internacional para Expansão da Conscienciologia, que esclareceu pontos importantes sobre o asfaltamento da rua Maria Bubiak, principal via de acesso a Conscienciologia. Acompanhado da advogada, o Presidente a AIEC ressaltou alguns pontos importantes do processo de investigação da CPI.

CRONOGRAMA DE OITIVAS REALIZADAS

Além de Nilton Beckers, Rodrigo Becker, César Cordiolli e Aldemir Gautino, foram ouvidos também pela Comissão Parlamentar de Inquérito, os empresários Paulo Cezar Araújo, Paulo Gorski, Rafael Sperfeld, Vilson Sperfeld, Fernando Bijari e Edson Dutra.

Ex-secretário de Obras, Evori Paztlaf e o atual de Diretor de Pavimentação, Rui Alberto Huaenstein, também prestaram esclarecimentos.

PRÓXIMAS AÇÕES

Dos documentos solicitados pela comissão, já chegaram cópia dos contratos da empresa Mita Fotocopiadora, Falconi e também os contratos relacionados à saúde. Segundo os parlamentares que integram a CPI, a comissão está analisando o que é possível e avançando nas investigações.

OITIVA SEGUNDA

Na próxima segunda-feira, 13 de junho, às 10h, a CPI convocou o Superintendente do Fozhabita, Valmir Griten, para dar depoimento. Conforme definido pela Comissão, as oitivas serão abertas à imprensa, com ressalvas de que somente no início para realização de imagens.

As partes citadas ainda não se manifestaram sobre o pedido da CPI que investiga os fatos.

Colaboração: Assessoria de imprensa