28°
Máx
17°
Min

Defesa de mulher de Cunha diz que ela está colaborando com Moro

A defesa da mulher do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou que Claudia Cruz tomou uma série de medidas para "demonstrar o seu comprometimento com a investigação" que está sob a responsabilidade do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba.

Entre as medidas, ela teria colocado à disposição da Justiça o seu passaporte e informado que a conta na Suíça, além de estar bloqueada , já foi declarada ao Banco Central.

Na nota, o advogado Pierpaolo Bottini diz ainda que a Claudia "acredita na seriedade das autoridades públicas, dedicadas a apurar os fatos com a imparcialidade que sempre pautou a Justiça".

A manifestação acontece depois dos advogados da mulher e da filha de Cunha, Danielle Dytz, terem entrado com um pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender as investigações contra elas que estão nas mãos de Moro.

As defesas alegam que as apurações que envolvem as duas devem ser paralisadas na primeira instância enquanto o ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo, não julgar o recurso impetrado pela defesa para reverter essa decisão. O habeas corpus ficou sob a relatoria do ministro Celso de Mello.

No último dia 15, Teori decidiu enviar os processos das duas para a primeira instância. A determinação atendeu a uma manifestação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sob a justificativa de que elas não têm foro privilegiado para serem investigadas pelo Supremo.